PUBLICIDADE
Topo

Rússia critica EUA por falta de avanço em negociação de tratado sobre mísseis

31/01/2019 14h32

Moscou, 31 jan (EFE).- O vice-ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Riabkov, criticou nesta quinta-feira a falta de avanços na última rodada de negociações com os Estados Unidos sobre o primeiro tratado de desarmamento nuclear firmado na Guerra Fria, conhecido pela sigla INF, que o presidente americano, Donald Trump, ameaça deixar no sábado.

"Infelizmente, não há avanços. A postura dos EUA é extremamente dura e se baseia no ultimato. A responsabilidade do que ocorrer recai totalmente sobre Washington", disse Riabkov.

Riabkov se reuniu hoje em Pequim com a subsecretária de Estado para o Controle de Armas e Segurança Internacional dos EUA, Andrea Thompson, em uma última tentativa de salvar o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF), assinado em 1987.

"Pelo que entendemos, agora começa a próxima fase, na qual os EUA suspenderão o cumprimento das obrigações do INF, o que, previsivelmente, ocorrerá neste fim de semana", continuou Riabkov.

O diplomata também criticou o governo americano pelo ultimato dado ao governo da Rússia para destruir o míssil de cruzeiro Novator 9M729, que, segundo a Casa Branca, viola o INF. Para Riabkov, as declarações eram "só um jogo" do Ocidente.

"Minha conclusão é que os EUA não esperavam chegar a nenhuma solução. Foi tudo um jogo para esconder a decisão já tomada há muito tempo de sair do INF", disse o vice-chanceler da Rússia.

Riabkov disse que a Rússia não pode negociar se os EUA preferirem adotar "métodos de chantagem" e lamentou que o governo americano tenha negado o convite do Kremlin para inspecionar o Novator.

Além disso, o representante russo também criticou os EUA por não responderem às denúncias do kremlin sobre as plataformas de lançamento MK-41, já enviadas para a Romênia e que em breve serão utilizadas pela Polônia. Segundo ele, os equipamentos violam o INF.

"Não desistiremos e seguiremos buscando uma solução para o problema, mas agora será muito mais complicado".

A Rússia considera como inadmissível o pedido dos EUA e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) para destruir o Novator. Segundo o Ministério da Defesa do país, o míssil tem alcance de 480 quilômetros e, dessa forma, não viola o INF.

Além disso, o diplomata alertou que a Rússia não reconhecerá a saída unilateral dos EUA do INF. EFE