PUBLICIDADE
Topo

Sobe para 52 o número de mortos no naufrágio de duas embarcações no Djibouti

31/01/2019 09h49

Nairóbi, 31 jan (EFE).- A Organização Internacional para as Migrações (OIM) informou nesta quinta-feira que aumentou para 52 o número de mortos no naufrágio de duas embarcações, com mais de 100 imigrantes, ocorrido na terça-feira passada perto da costa do Djibouti.

"Até quarta-feira à noite, a equipe da OIM tinha conhecimento de 52 vítimas", afirmou a organização em comunicado.

Os corpos de três homens e duas mulheres foram achados na terça-feira e outros 47 corpos foram encontrados ontem, de acordo com a entidade.

A tragédia aconteceu no último dia 29, na costa da cidade de Godorya. A Guarda Costeira fez uma operação de busca e salvamento e, por enquanto, 16 sobreviventes foram resgatados. Testemunhas contaram que as embarcações afundaram meia hora depois de zarpar, por causa da sobrecarga e das fortes ondas.

"Este trágico evento mostra os riscos aos quais os migrantes vulneráveis devem enfrentar quando, de maneira inocente, buscam uma vida melhor", afirmou a chefe da missão da OIM no Djibouti, Lalini Veerasamy, em comunicado divulgado ontem.

Segundo ela, o governo do Djibouti "sempre mostrou empatia e liderança regional neste tema tão grave" e o desejo da OIM é de continuar apoiando às autoridades do país para evitar casos semelhantes.

A costa do Djibouti é ponto habitual de partida para cidadãos de países do leste da África, como a Somália, Etiópia e Eritréia, que querem chegar ao Iêmen, para de lá tentarem ir para Arábia Saudita, Emirados Árabes ou outras nações em busca de trabalho.

Conforme dados divulgados ontem pelo Projeto Migrantes Desaparecidos da OIM, pelo menos 199 pessoas se afogaram nesta parte do litoral do Djibouti desde 2014. EFE