PUBLICIDADE
Topo

Vice-presidente do Afeganistão escapa ileso de atentado no norte do país

31/03/2019 08h41

Cabul, 31 mar (EFE).- O vice-presidente do Afeganistão, Abdul Rashid Dostum, escapou ileso de um ataque no qual morreu um de seus guarda-costas na província de Balkh, no norte do país, o segundo atentado desde o seu retorno do exílio na Turquia, revelaram neste domingo fontes de seu partido.

Ontem, por volta das 15h locais (9h30 em Brasília), "quando o primeiro vice-presidente, o general Abdul Rashid Dustom, saiu de Balkh para a província de Jawzjan, (seu comboio) se deparou com uma emboscada inimiga", confirmou à Agência Efe um porta-voz do partido Junbish-e-Millie, Kanishka Turkistani.

De acordo com o porta-voz, os agressores atacaram o comboio do vice-presidente depois que os primeiros veículos conseguiram entrar sem problemas na região.

A emboscada derivou em "enfrentamentos entre as forças de segurança e os agressores, até que, depois de alguns minutos de enfrentamento, os inimigos deixaram o local", disse Turkistani.

Pelo menos dez agressores foram abatidos ou feridos no local, segundo a fonte, que evitou detalhar o número exato de mortos.

"Infelizmente, um dos agentes de segurança morreu e outros dois ficaram feridos durante o ataque", acrescentou Turkistani.

A autoria do ataque foi reivindicada pelos talibãs em mensagem no Twitter de seu porta-voz, Zabihullah Mujahid, que garantiu que "o comandante Asadullah, um aliado próximo e comandante militar do general Dostum, morreu durante o ataque a seu comboio no sábado no distrito de Charbolak", em Balkh.

Este é o segundo atentado do qual Dostum escapa ileso no último ano.

Em julho do ano passado, o vice-presidente afegão e antigo o senhor da guerra conseguiu fugir sem lesões de um atentado próximo do aeroporto de Cabul, quando retornava à capital afegã depois de um ano de exílio na Turquia.

O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) reivindicou a autoria do atentado e detalhou na época que o mesmo foi cometido por um insurgente que detonou os explosivos que levava junto ao corpo. Além disso, a facção terrorista revelou que o alvo da ação era o vice-presidente afegão e seus simpatizantes.

A viagem de Dostum à Turquia em 2017 aconteceu após semanas de especulações nos veículos de imprensa afegãos sobre sua possível fuga depois que a Procuradoria Geral tinha aberto uma investigação três meses antes contra nove seguranças seus que teriam torturado e estuprado um rival político do vice-presidente.

Dostum é um dos "caudilhos" afegãos mais poderosos, com fama de sanguinário e um histórico de constantes mudanças de lado durante as guerras ocorridas no Afeganistão desde a invasão soviética na década de 1980 até a queda do regime talibã com a intervenção americana em 2001.

Como integrante da Aliança do Norte, Dostum combateu com ajuda americana os talibãs que resistiam no norte do país e, segundo algumas denúncias, é responsável pela morte por asfixia de centenas de insurgentes capturados como prisioneiros, durante a transferência dos mesmos para uma prisão em contêineres praticamente selados. EFE