Topo

Príncipe Andrew nega ter mantido relações sexuais com americana de 17 anos

16/11/2019 20h44

Londres, 16 nov (EFE).- O príncipe Andrew, filho da rainha Elizabeth II, negou "categoricamente" que tenha se relacionado sexualmente com uma mulher americana, que o acusa ter sido forçada pelo integrante da família real britânica, quando tinha 17 anos.

"Não aconteceu. Posso dizer categoricamente que nunca aconteceu. Não me lembro sequer de ter conhecido essa senhora", respondeu mais de uma vez o Duque de York.

Andrew deu essas e outras declarações em uma entrevista veiculada na noite deste sábado, pela emissora "BBC", em que falou pela primeira vez com mais detalhes sobre a relação com o magnata Jeffrey Epstein, acusado de envolvimento com tráfico sexual e que se matou em agosto deste ano, na prisão.

O integrante da família real admitiu ter se hospedado cerca de quatro vezes em residências de Epstein, mas garantiu que, em nenhum momento, desconfiou de qualquer comportamento inapropriado por parte do magnata, que, em 2008, foi condenado a 18 meses de prisão por tráfico sexual de menores.

O príncipe disse que conheceu o americano através de uma amiga em comum de ambos, Ghislaine Maxwell, filha de Robert Maxwell, magnata das comunicações.

Virginia Giuffre garantiu em depoimento que fez sexo com o príncipe até três vezes, uma delas, no apartamento de uma amiga, no bairro de Belgravia, em Londres. Os encontros, segundo a denunciante, aconteceram entre 2001 e 2012.

A americana aponta, inclusive uma data, 10 de março de 2001, em que encontrou com o filho de Elizabeth II em Londres. Andrew garante que, neste dia, levou a filha mais velha, a princesa Beatrice, em uma festa realizada em uma pizzaria na cidade de Woking.

Diversos veículos de imprensa apontaram que o magnata e o príncipe Andrew eram amigos, inclusive, comprovando a relação com fotos do Duque de York na mansão de Epstein, se despedindo de uma jovem, que seria Giuffre.

O integrante da família real reconheceu que foram feitas análises para atestar se a imagem se trata de uma montagem, mas que não houve conclusão. Ele, no entanto, garante não se recordar da situação.

Andrew, além disso, admitiu que, antes de considerar prestar depoimento junto à justiça americana, pretende buscar aconselhamento com advogados.

Apesar das acusações contra o magnata americano, o príncipe disse que não lamentava ter sido amigo de Epstein, devido as oportunidades que teve para aprender sobre o setor empresarial, quando era enviado especial de comércio do Reino Unido.

O Duque de York confessa, por outro lado, que a amizade se tornou uma mancha, devido as acusações contra o empresário, e que, em perspectiva, ter se hospedado na casa dele foi algo "equivocado".

Giuffre é uma das 16 mulheres que afirmam ter sido vítimas dos abusos de Epstein. Além dela, Johann Sjoberg testemunhou que foi tocada nos seios pelo príncipe Andrew, no apartamento de Epstein, em 2001. EFE

Notícias