PUBLICIDADE
Topo

Espanha planeja retomar normalidade pré-Covid-19 até fim de junho em 4 fases

29/04/2020 03h40

Madri, 28 abr (EFE).- A Espanha planeja voltar à normalidade que vivia antes da pandemia do novo coronavírus em quatro fases, que serão aplicadas em diferentes partes do país de acordo com a evolução dos casos de contágio e poderão ser concluídas até o final de junho, anunciou o presidente do Governo, Pedro Sánchez, nesta terça-feira.

Cada fase inclui níveis mais altos de abertura em lojas, hotéis e atividades culturais, esportivas e religiosas, explicou Sánchez em pronunciamento transmitido por televisão, além de anunciar que as escolas voltarão a funcionar em setembro.

O plano, aprovado hoje pelo Conselho de Ministros, parte da chamada fase 0, que será aplicada a quase todo o país a partir da próxima segunda-feira, e cada território poderá avançar a cada duas semanas para a fase seguinte, dependendo do progresso no controle da Covid-19.

O objetivo deste plano gradual "é recuperar o cotidiano sem colocar em risco a saúde coletiva", disse Sánchez, que também alertou que "não haverá mobilidade" entre as províncias e ilhas do país "até atingirmos a nova normalidade".

Sanchez lembrou que é esperado que no próximo sábado, se a evolução da doença continuar como está, os espanhóis poderão sair para fazer exercícios sozinhos ou caminhar com as pessoas com quem vivem.

A partir de 11 de maio, as autoridades avaliarão o progresso no controle da pandemia e poderão incluir novos territórios na fase 1.

Esta fase 1 permitirá, por exemplo, a abertura parcial de bares e restaurantes - para que possam ser buscados pedidos - e a retomada da atividade hoteleira, embora não nas áreas comuns.

As pequenas empresas também serão reabertas parcialmente, com horários específicos para a população de mais de 65 anos, e o transporte público será reforçado.

Além disso, locais de culto religioso poderão reabrir com um terço da capacidade máxima, e o treinamento de equipes de ligas esportivas profissionais será retomado.

Sánchez anunciou que a abertura do ano letivo "acontecerá em setembro", embora alguns possam ser abertos excepcionalmente antes para atividades de reforço escolar e exames para admissão em universidades.

A Espanha é um dos países mais afetados pela pandemia, com 23.822 mortes por Covid-19 e 210.773 casos de infecção pelo coronavírus, de acordo com os dados oficiais divulgados hoje.