PUBLICIDADE
Topo

Salvini chama de "terrorismo" a divulgação diária de dados sobre Covid-19

04/08/2020 16h45

Roma, 4 ago (EFE).- O líder do partido de extrema-direita Liga e ex-ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, descreveu nesta terça-feira como "terrorismo" a divulgação diária de dados sobre infecções pelo novo coronavírus e assegurou que a emergência da pandemia não existe mais no país.

Criticado por não usar máscara em seus atos públicos, Salvini defendeu, em entrevista à estação de rádio "Rtl102.5" que em locais fechados você deve utilizá-las, "mas ao ar livre, se as distâncias forem respeitadas, você poderá viver, sorrir, respirar e chegar perto de outro ser humano".

Salvini também descreveu como "terrorismo diário" a disseminação do relatório diário dos casos e mortes por Covid-19.

A Itália mantém uma média de cerca de 250 infecções por dia e registrou 35.166 óbitos relacionados ao novo coronavírus.

"Ontem ouvi dizer que houve 12 mortes por coronavírus, mas na Itália 1,8 mil pessoas também morreram ontem de ataques cardíacos, acidentes, câncer, suicídios...".

"Chantagear e ameaçar fechar uma cidade quando, felizmente, a emergência não existe mais, acho que isso prejudica muito a economia, a socialização e a cultura", acrescentou.

O governo italiano prolongou até 15 de outubro o estado de emergência para poder tomar decisões para aliviar as consequências da pandemia.

O agora senador, após sua saída da coalizão do governo em agosto do ano passado, também criticou que nenhuma decisão foi tomada em relação à abertura e horário das escolas. EFE

ccg/phg