PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Em dia de recorde diário, Colômbia supera marca de 100 mil mortes por covid

22/06/2021 01h39

Bogotá, 21 jun (EFE).- A Colômbia presenciou nesta segunda-feira seu pior dia em meio à pandemia de covid-19, com um recorde de 648 mortes confirmadas em 24 horas, totalizando 100.582 óbitos desde o início da crise sanitária.

O número de mortes recém-contabilizadas supera consideravelmente as 599 contabilizadas em 15 e 20 de junho. A terceira onda da doença no país já dura quase três meses.

Por outro lado, foram reportados 23.239 novos contágios, menos do que nos últimos dias, totalizando 3.968.405 desde que a doença foi identificada em solo colombiano.

MISSA PELOS 100 MIL MORTOS.

Bogotá registrou um terço das 648 novas mortes (das quais 584 ocorreram em dias anteriores) e continua sendo o principal alvo da terceira onda, com um recorde de 200 óbitos nesta segunda-feira. Foram reportados 7.584 contágios, o que representa uma diminuição.

Depois de Bogotá, Antioquia foi o departamento com mais mortes (79), seguido por Santander (72), Meta (31), Boyacá (28), Nariño (27), Casanare (23) e Córdoba (20).

O presidente colombiano, Iván Duque, celebrou nesta segunda-feira, na Casa de Nariño, sede do governo, uma missa em memória das mais de 100 mil vítimas da covid-19 no país.

"Quero enviar uma mensagem muito clara a estas famílias que perderam seus entes queridos. Hoje, mais do que nunca, estamos ao seu lado e não deixaremos de estar", disse Duque, ao afirmar que os protestos que começaram no dia 28 de abril contribuíram "para que esta doença se disseminasse exponencialmente".

"Mais de 10 mil mortes poderiam ter sido evitadas se não tivéssemos aglomerações nas últimas seis ou sete semanas. É triste colocar neste perspectiva", argumentou o mandatário.