PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Em isolamento voluntário, Putin defende vacinação contra a covid-19

17/09/2021 16h21

Moscou, 17 set (EFE).- O presidente da Rússia, Vladimir Putin, que cumpre isolamento voluntário após a detecção de casos de covid-19 em seu entorno, defendeu nesta quinta-feira a importância de que a população do país se vacine contra a doença.

"É necessário não esquecer de tomar a segunda dose em tempo", disse o chefe de governo, durante a participação em uma reunião por chamada de vídeo.

Putin fez um alerta, afirmando que vários funcionários que trabalham com ele, em equipes de segurança, imprensa, não o fizeram, não tendo assim os anticorpos necessários para evitar a infecção.

"Este é o resultado. Tenho que trabalhar durante certo tempo em condições de quarentena forçada", disse o presidente russo.

O chefe de governo, no entanto, deixou claro que os que já tinham sido infectados anteriormente e os que foram vacinados, "superam a covid-19 muito bem, sem complicações sérias".

O autoisolamento anunciado pelo Kremlin na última terça-feira impediu Putin de participar da das cúpulas de líderes da Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OSTC) e da Organização de Cooperação de Xangai (SCO), que aconteceram no Tadjiquistão.

Três dias atrás, o porta-voz da presidência russa, Dmitry Peskov, afirmou que o isolamento voluntário não mudaria a rotina do chefe de governo, nem obrigaria a ativação de algum protocolo especial.

O presidente da Rússia foi vacinado em deste ano com a vacina Sputnik V, produzida no país, depois de evitar por mais de um ano participar de eventos presenciais, por temor de ser infectado pelo novo coronavírus.

Além disso, estão sendo utilizadas outros dois imunizantes de com duas doses no país, a EpiVacCorona, CoviVac, além da Sputnik Light, que é de apenas uma.