PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Maduro admite que corrupção é pior para Venezuela que bloqueio estrangeiro

02/12/2021 04h18

Caracas, 1 dez (EFE).- O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, reconheceu nesta quarta-feira que a corrupção que ele admitiu ter visto no país causa mais danos que o bloqueio de nações como os Estados Unidos.

"O bloqueio do coração e da mente, a indolência, a incapacidade, a corrupção, a ineficiência são piores que o bloqueio gringo. É o que digo hoje, 1º de dezembro de 2021", declarou Maduro em referência às sanções dos EUA, durante a cerimônia de posse da nova governadora do estado de Aragua, Karina Carpio.

"Isso é pior que o bloqueio gringo porque há muitos problemas que podem ser resolvidos com um pouco de trabalho, um pouco de atenção, um pouco de amor. Alguns líderes com responsabilidades concretas, como governadores, prefeitos, ministros, foram vítimas de outro bloqueio que é ainda pior, o bloqueio mental. E eles se distanciaram do povo, deixaram de ouvir o povo, se encapsularam em seus escritórios, e quando as eleições chegam, eles saem à procura de votos", completou o chefe de Estado.

Por outro lado, o presidente pediu aos prefeitos e governadores eleitos nas eleições de 21 de novembro que não fossem "um obstáculo" para o surgimento de novas lideranças e os convidou a facilitar o caminho para aqueles que têm novos projetos e ideias.

"Temos que ser um instrumento permanente de renovação, de melhoria, de força. Nenhum de nós deve se tornar, como prefeito ou governador, um obstáculo, um bloqueio, para que novas lideranças não cresçam", comentou.

Durante o evento, transmitido na emissora estatal de televisão "VTV", ele insistiu que aqueles que não permitem o desenvolvimento desses novos líderes estão "matando o futuro do país".

"As posições não devem ser tomadas como garantidas", afirmou o presidente que prometeu que seu partido, o Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), tomará medidas exemplares caso seja descoberto algum caso de manipulação de resultados nas eleições regionais do último dia 21.

Além disso, reiterou que seu governo ainda está revendo os resultados do pleito, nas quais o PSUV ganhou 19 dos 23 estados, mais Caracas. Segundo Maduro, era possível terem conquistado mais votos. EFE