Ex-chefe do Exército é eleito presidente do Líbano e encerra vácuo de 29 meses

BEIRUTE (Reuters) - O Parlamento do Líbano elegeu o ex-comandante do Exército Michel Aoun como presidente nesta segunda-feira e encerrou um vácuo presidencial de 29 meses como parte de um acordo político que deve fazer do líder muçulmano sunita Saad al-Hariri o primeiro-ministro do país.

Aoun, que está na casa dos 80 anos de idade, conquistou o cargo ao obter o apoio de 83 parlamentares, bem acima da maioria absoluta de 65 necessária para vencer, de acordo com uma contagem de votos lida durante uma transmissão televisiva ao vivo do Parlamento.

Fogos de artifício ecoaram por toda Beirute quando a contagem mostrou Aoun como o vencedor. Ele também um parlamentar, o novo presidente foi mostrado sorrindo em sua cadeira. A presidência libanesa é reservada para um cristão maronita no sistema de partilha de poder sectária da nação.

A decisão de Hariri de endossar Aoun simbolizou uma grande concessão política e um reflexo da diminuição do poder da Arábia Saudita no Líbano, e ainda da influência decisiva do Hezbollah, que tem respaldo do Irã. Riad apoiou Hariri e seus aliados durante anos de luta política com o Hezbollah e seus aliados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos