Atentado do EI deixa mais de 100 mortos no Iraque; maioria era de peregrinos iranianos

Em Bagdá

  • Alaa al-Marjani/Reuters

    Forças de segurança iraquianas comparecem a local de explosão de caminhão-bomba em Hilla, próximo a Bagdá, no Iraque

    Forças de segurança iraquianas comparecem a local de explosão de caminhão-bomba em Hilla, próximo a Bagdá, no Iraque

Um caminhão-bomba matou mais de 100 pessoas nesta quinta-feira (24) no Iraque, em maioria peregrinos xiitas iranianos, em um posto de gasolina na cidade de Hilla, 100 quilômetros ao sul de Bagdá, disseram fontes médicas e da polícia.

O Estado Islâmico, grupo militante sunita extremista que considera todos os xiitas apóstatas, reivindicou responsabilidade pelo ataque em comunicado online.

Os peregrinos seguiam da cidade sagrada xiita de Kerbala, no Iraque, de volta para o Irã após comemorar o Arbaeen, 40° dia de luto pela morte de Imam Hussein, neto do profeta Maomé, no século 7 depois de Cristo, disseram as fontes médicas.

O posto de gasolina possui um restaurante popular entre viajantes. Cinco ônibus usados pelos peregrinos foram incendiados pela força da explosão do caminhão, que estava repleto de explosivos, disse uma fonte policial.

O Estado Islâmico intensificou ataques durante o mês passado em áreas fora de seu controle, em tentativa de enfraquecer a ofensiva militar apoiada pelos Estados Unidos e iniciada em 17 de outubro para retomar Mosul, última grande cidade sob controle do grupo no Iraque.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos