Milícia do leste do Congo mata 30 civis, a maioria de grupo étnico rival

KINSHASA, Congo (Reuters) - Uma milícia étnica Nande no leste da República Democrática do Congo matou cerca de 30 civis, a maioria Hutus, na manhã deste domingo, disseram fontes locais, em uma aparente escalada de violência mortal entre os dois grupos que tem acontecido repetidamente este ano.

Joy Bokele, administradora no território Lubero da província de Kivu do Norte, disse à Reuters que os combatentes da milícia Mai Mai Mazembe atacaram a aldeia de Luhanga às 5:00 da manhã, hora local, com armas e facões.

"Por enquanto, temos um número provisório de cerca de 30 mortos e cerca de 20 feridos", disse Bokele.

As milícias que reivindicam representar os dois grupos étnicos têm se envolvido na violência recíproca durante todo o ano e que já matou dúzias dos civis.

Bokele disse que não há motivo conhecido por trás do ataque, mas o Centro de Estudos para a Promoção da Paz, Democracia e Direitos Humanos, um grupo ativista local, disse que as mortes aconteceram após uma semana de ameaças por parte dos milicianos contra os Hutus locais.

As tensões entre os Hutus e as comunidades vizinhas aumentaram desde que o exército congolês lançou uma ofensiva militar no ano passado contra a principal milícia Hutu na região, deslocando um grande número de combatentes e civis.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos