Quer adiar a morte? Então nade, dance ou entre em quadra, mostra estudo

Por Kate Kelland

LONDRES (Reuters) - Natação, esportes de raquete e aeróbica estão associados com as melhores chances de adiar a morte e, em particular, de reduzir o risco de morte por doença cardíaca ou acidente vascular cerebral, disseram cientistas na terça-feira.

Em um estudo de vários tipos de exercício e seus níveis de risco, os pesquisadores descobriram que a participação em esportes específicos apresentaram benefícios significativos para a saúde pública, e pediram aos médicos e políticos que incentivem as pessoas a praticá-los.

Embora a pesquisa, publicada no British Journal e Sports Medicine, não tenha mostrado qualquer vantagem adicional para as pessoas que preferem correr, jogar futebol ou rugby, especialistas independentes disseram que isso se deve puramente devido ao projeto do estudo.

"Este estudo não deve ser mal interpretado como mostrando que corrida e futebol não protegem contra doenças cardíacas", disse Tim Chico, um cardiologista consultor na Universidade de Sheffield, na Grã-Bretanha, que foi convidado a comentar os resultados.

O estudo analisou dados de 11 pesquisas anuais de saúde na Inglaterra e Escócia, realizadas entre 1994 e 2008, abrangendo 80.306 adultos com uma idade média de 52 anos.

Os participantes foram perguntados sobre o tipo e a frequência do exercício que praticaram nas quatro semanas anteriores, e se tinham sido suficientes para fazê-los ficar sem fôlego e suado.

O exercício incluiu tarefas domésticas pesadas e jardinagem; caminhadas; ciclismo; natação; aeróbica, ginástica ou dança; corrida; futebol ou rugby; e badminton, tênis ou squash.

A sobrevivência de cada participante foi acompanhada por uma média de nove anos, período durante o qual 8.790 morreram de todas as causas e 1.909 de doença cardíaca ou acidente vascular cerebral.

Em geral, em comparação com os entrevistados que não tinham feito nenhum esporte determinado, o risco de morte durante o período de acompanhamento de qualquer causa foi 47 por cento menor entre aqueles que jogaram esportes de raquete, 28 por cento menor entre os nadadores, 27 por cento menor entre os fãs de dança aeróbica e 15 por cento entre ciclistas.

Na morte por doença cardíaca e acidente vascular cerebral, o estudo descobriu que os jogadores de esportes de raquete tinham um risco 56 por cento menor, com 41 por cento para natação e 36 por cento para aeróbica, em comparação com aqueles que não participaram desses esportes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos