Turquia e Rússia têm plano para cessar-fogo na Síria, diz Ancara

Por Orhan Coskun e Ellen Francis

ANCARA/BEIRUTE (Reuters) - Turquia e Rússia definiram um acordo para um cessar-fogo na Síria, disse nesta quarta-feira o ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu, acrescentando que Ancara não irá ceder na oposição à permanência do presidente sírio, Bashar al-Assad, no poder.

Os comentários desta quarta-feira de Cavusoglu pareceram sinalizar um avanço tímido nas conversas visando a obtenção de uma trégua, mas a insistência sobre a saída de Assad não ajudará nas negociações com a Rússia, sua principal apoiadora.

Na semana passada, Rússia, Irã e Turquia disseram estar dispostos a ajudar a mediar um acordo de paz depois de realizarem conversas em Moscou, durante as quais adotaram uma declaração que estabeleceu os princípios ao quais qualquer acordo deveria se ater.

"Há dois textos prontos a respeito de uma solução para a Síria. Um é sobre uma resolução política, e o outro é sobre um cessar-fogo. Eles podem ser implementados a qualquer momento", disse Cavusoglu a repórteres nos bastidores de uma cerimônia de premiação no palácio presidencial em Ancara. Segundo ele, a oposição síria jamais apoiaria Assad.

"O mundo todo sabe que não é possível haver uma transição política com Assad, e todos nós também sabemos que é impossível estas pessoas se unirem em torno de Assad", acrescentou.

Também na semana passada, o chanceler russo, Sergei Lavrov, disse que seu país, o Irã e a Turquia concordaram que a prioridade na Síria é combater o terrorismo, e não depor o presidente.

Mais cedo nesta quarta-feira, a agência de notícias estatal turca Anadolu relatou que Moscou e Ancara acertaram uma proposta para um cessar-fogo geral. Já o Kremlin disse que não poderia comentar a reportagem.

Uma autoridade rebelde da Síria disse que as reuniões entre o governo turco e forças rebeldes devem continuar nesta semana, mas não pôde confirmar se um acordo de cessar-fogo definitivo foi obtido.

A fonte disse à Reuters que um tema de grande discórdia nas negociações entre os grupos rebeldes e a Turquia é que a Rússia quer excluir os arredores de Damasco da trégua, o que os insurgentes recusam. Uma segunda autoridade rebelde afirmou à Reuters que ainda não há nenhum acordo da parte das facções rebeladas.

(Reportagem adicional de Tuvan Gumrukcu e Tulay Karadeniz, em Ancara; Humeyra Pamuk, em Istambul; e Denis Pinchuk, em Moscou)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos