Reino Unido repudia comentários de Kerry sobre governo de Israel

LONDRES (Reuters) - O Reino Unido criticou duramente o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, por descrever o governo de Israel como "o mais direitista da história israelense", um gesto que alinha ainda mais a primeira-ministra britânica, Theresa May, ao presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump.

Em um discurso de 70 minutos realizado poucas semanas antes de a gestão do presidente dos EUA, Barack Obama, passar o bastão para Trump, Kerry alertou na quarta-feira que a construção de assentamentos israelenses está ameaçando a paz no Oriente Médio.

O porta-voz de May disse que o governo britânico acredita que, embora a construção de assentamentos em territórios palestinos ocupados seja ilegal, está claro que este está longe de ser o único problema do conflito.

"Nós não... acreditamos que a maneira de se negociar a paz seja se concentrar somente neste assunto", disse o representante da premiê em um comunicado. "E não acreditamos que é apropriado atacar a composição do governo democraticamente eleito de um aliado".

Os comentários de Kerry aumentaram a tensão no relacionamento do gabinete israelense e do governo Obama depois que os EUA se abstiveram em uma votação na semana passada e abriram caminho para uma resolução do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) que exigiu o fim da construção de assentamentos.

Trump fez lobby contra a resolução da ONU abertamente e criticou a maneira como Obama lidou com o relacionamento bilateral. Londres apoiou a resolução.

(Por Kate Holton)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos