Putin e Trump concordam em trabalhar juntos sobre Síria e Coreia do Norte

Em Moscou

  • Jonathan Ernest/Reuters

O presidente russo, Vladimir Putin, e o presidente dos EUA, Donald Trump, concordaram durante um telefonema nesta terça-feira (2) em tentar se reunir em julho e trabalhar juntos para buscar o fortalecimento de um cessar-fogo na Síria, disse o Kremlin em um comunicado.

O Kremlin, que chamou as negociações entre Putin e Trump de construtivas e de negócios, afirmou que os dois líderes enfatizaram a coordenação de suas ações para combater o terrorismo internacional.

Sobre a Coreia do Norte, o Kremlin disse que Putin pediu prudência e que os dois líderes concordaram em trabalhar juntos para fazer também um progresso diplomático.

Em um comunicado, a Casa Branca classificou a conversa como "muito boa" e informou que Trump e Putin "concordaram que o sofrimento na Síria durou muito tempo e que todas as partes devem fazer todo o possível por pôr fim à violência".

Ainda de acordo com a nota da Casa Branca, os dois líderes conversaram sobre a possibilidade da criação de "zonas seguras" para que seja obtida uma "paz duradoura" na Síria e sobre como resolver "a situação muito perigosa na Coreia do Norte".

Ambos ainda se manifestaram a favor de organizar uma reunião cara-a-cara no período da cúpula do G20, em Hamburgo, em julho, de acordo com a nota do Kremlin.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos