Governo britânico diz que homens por trás de atentado a bomba em Manchester ainda estão soltos

Por Phil e Noble

MANCHESTER (Reuters) - Membros da rede de contatos do homem-bomba de Manchester Salman Abedi ainda estão livres, disse o ministro do Interior britânico, Amber Rudd, neste domingo, depois que o nível de alerta de novos ataques terroristas foi reduzido devido aos recentes progressos na investigação.

A polícia disse que já prendeu uma boa parte dos homens por trás do atentado que matou 22 pessoas em um show de música, e três outros homens foram presos ao longo da semana como parte dessa operação policial.

Perguntado durante entrevista à emissora BBC se alguns membros do grupo permanecem soltos, Rudd disse: "Provavelmente. É uma operação contínua. Há 11 pessoas sob custódia, a operação ainda está em plena forma".

A primeira-ministra Theresa May disse que a evolução na investigação do atentado fez os especialistas em inteligência abaixarem o nível de ameaça terrorista, saindo da mais alta classificação, a "crítica", quando um ataque é iminente, para "severa".

A polícia divulgou uma foto de Abedi, um britânico de 22 anos e filho de líbios, que teria sido tirada na noite de segunda-feira antes de ele se suicidar, e disse acreditar que ele teria montado sua bomba em um apartamento no centro da cidade.

Funcionários do governo britânico confirmaram que ele havia retornado recentemente da Líbia e disseram que a polícia precisava de informações sobre suas movimentações desde seu retorno à Grã-Bretanha em 18 de maio.

Abedi já era conhecido dos serviços de segurança britânicos antes do atentado, disse o governo, mas Rudd se recusou a comentar exatamente o que se sabia a respeito do terrorista.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos