Turquia critica intervenção artística em Berlim que retrata Erdogan como ditador

ISTAMBUL (Reuters) - A Turquia classificou, nesta terça-feira, como incitação à violência uma instalação artística localizada em frente à chancelaria alemã em Berlim e que retrata o presidente turco, Tayyip Erdogan, como um ditador, poucos dias antes do início de uma cúpula do G20 na Alemanha na qual ele deve estar presente.

O Ministério de Relações Exteriores da Turquia, cujo relacionamento com Berlim tem se azedado no último ano por conta de discordâncias sobre uma série de questões políticas e relacionadas a segurança, disse que a questão é agravada pela falta de intervenção da polícia alemã.

Um vídeo feito pela Reuters TV da instalação mostrou um carro escuro contendo um banner em preto e branco impresso com fotos de Erdogan junto ao presidente russo, Vladimir Putin, e ao rei saudita, Salman bin Abdulaziz.

O banner tinha os dizeres "você quer este tipo de carro? Mate a ditadura."

Críticos na Turquia e em outros países acusam Erdogan de autoritarismo crescente, citando demissões de milhares de funcionários públicos e muitas prisões após uma tentativa fracassada de golpe militar em julho do ano passado.

Erdogan diz que suas ações são necessárias para garantir a estabilidade, após mais de 240 pessoas terem morrido em decorrência da tentativa de golpe.

O Ministério de Relações Exteriores turco informou esperar que autoridades alemãs ajam contra a intervenção artística. "A expressão contida no banner... faz um chamado direto à violência", disse.

Uma porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da Alemanha não quis comentar.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos