Sonda da Nasa se aproxima de Júpiter para analisar Grande Mancha Vermelha

Por Steve Gorman

LOS ANGELES (Reuters) - Uma espaçonave da Nasa em órbita ao redor de Júpiter começou a transmitir na terça-feira dados e imagens da maior aproximação humana da Grande Mancha Vermelha, em um sobrevoo da colossal tempestade carmesim que fascina observadores da Terra há centenas de anos.

A sonda Juno registrou seu contato imediato com a característica mais marcante de Júpiter na noite de segunda-feira, pelo horário da costa do Pacífico, ao passar cerca de 9 mil quilômetros acima das nuvens do ciclone monumental.  

Mas irá demorar dias para que as leituras capturadas pelo conjunto de câmeras e outros instrumentos da Juno cheguem aos cientistas do Laboratório de Propulsão a Jato de Pasadena, na Califórnia, e muito mais tempo ainda para que os dados sejam analisados.

Os cientistas esperam que o exercício ajude a desvendar mistérios como quais forças estão induzindo a tempestade, há quanto tempo ela existe, o quão fundo ela penetra na baixa atmosfera do planeta e por que parece estar se dissipando gradualmente.

Astrônomos também acreditam que um entendimento maior da Grande Mancha Vermelha pode dar pistas sobre a estrutura, a mecânica e a formação de Júpiter como um todo.

"Esta é uma tempestade maior do que a Terra inteira. Ela está lá há centenas de anos. Queremos saber o que a estimula", disse Steve Levin, principal cientista de projeto da missão Juno no laboratório californiana.

Levin disse que se acredita que a tempestade é alimentada por energia que emana do interior de Júpiter combinada com a rotação do planeta, mas os mecanismos internos exatos são desconhecidos.

Alguns dos dados mais preciosos do sobrevoo de segunda-feira devem vir de um instrumento concebido para analisar a Grande Mancha Vermelha em seis profundidades diferentes, disse Levin.

O ciclone é a maior tempestade conhecida do sistema solar, já que tem cerca de 16 mil quilômetros de diâmetro e ventos que chegam a centenas de quilômetros por hora em suas extremidades. Ele tem a aparência de uma esfera vermelha e profunda cercada por camadas de amarelo pálido, laranja e branco.

O encontro de segunda-feira com a Grande Mancha Vermelha foi a mais recente de 12 missões de sobrevoo atualmente agendadas pela Nasa para a Juno, que deve fazer sua próxima aproximação do alto das nuvens de Júpiter em 1o de setembro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos