Roger Bordage, chefe de grupo de sobreviventes do Holocausto, morre aos 92 anos

BERLIM (Reuters) - Roger Bordage, um sobrevivente do Holocausto, combatente da resistência francesa e presidente do Comitê Internacional de Sachsenhausen desde 2010, morreu aos 92 anos.

Dietmar Woidke, premiê do Estado alemão de Brandemburgo, lamentou a morte de Bordage, que havia recebido a maior honra do Estado em 2014.

"Roger Bordage... prestou um grande serviço ao tornar suas memórias das atrocidades nazistas no campo de concentração de Sachsenhausen disponíveis para as novas gerações", disse Woidke.

Os comitês de Sachsenhausen são organizações de ex-presos de campos de concentração, que foram formados após a Segunda Guerra Mundial para educar o mundo sobre o que foi feito durante o regime nazista.

Bordage, que nasceu em Paris em 1925, foi preso pelos nazistas em 1943 como um membro das forças francesas que lutaram contra o regime alemão. Ele foi, em seguida, transportado para o campo de concentração Sachsenhausen, que fica aproximadamente 35km ao norte de Berlim.

"Com Roger Bordage nós perdemos uma pessoa que lutou contra o fascismo e a ditadura durante sua vida inteira", disse Christian Goerke, líder do partido A Esquerda em Brandemburgo, em comunicado.

(Reportagem de Andrea Shalal)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos