Coreia do Norte acusa EUA de declarar guerra e ameaça abater bombardeiros americanos

Michelle Nichols

Em Washington

  • South Korea Defense Ministry via AP

    31.ago.2017 - Bombardeiro B-1B dos EUA lança bomba em teste na península corena

    31.ago.2017 - Bombardeiro B-1B dos EUA lança bomba em teste na península corena

O ministro de Relações Exteriores norte-coreano disse nesta segunda-feira (25) que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou guerra contra a Coreia do Norte e que Pyongyang tem o direito de tomar contramedidas, incluindo derrubar bombardeiros estratégicos dos EUA, mesmo se eles não estiverem no espaço aéreo do país.

"Todo o mundo deve lembrar claramente que foram os Estados Unidos que primeiro declararam guerra contra o nosso país", disse o ministro de Relações Exteriores norte-coreano, Ri Yong Ho, a repórteres, em Nova York.

"Uma vez que os Estados Unidos declararam guerra contra o nosso país, nós teremos todo o direito de tomar contramedidas, incluindo o direito de derrubar bombardeiros estratégicos dos Estados Unidos, mesmo quando eles não estiverem dentro da fronteira do espaço aéreo do nosso país".

Após as declarações do ministro norte-coreano, o porta-voz do Pentágono, coronel Robert Manning, disse a repórteres que irá fornecer opções ao presidente norte-americano, Donald Trump.

"Se a Coreia do Norte não parar com suas ações provocativas, vocês sabem, nós iremos garantir que forneceremos opções ao presidente para lidar com a Coreia do Norte", disse a repórteres.

Entenda o programa de mísseis norte-coreano

Fim de semana tenso

No fim de semana, Donald Trump retomou a retórica contra a Coreia do Norte, alertando o ministro das Relações Exteriores do país que ele e o líder Kim Jong-Un "não estarão por perto por muito tempo".  

O Ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, disse durante a Assembleia Geral das Nações Unidas, no sábado, que mirar os EUA com seus foguetes era inevitável após o "Sr. Presidente Maligno" ter chamado o líder de Pyongyang de "piloto de foguete" em uma missão suicida.

"Acabei de saber que o ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte falou na ONU. Se ele estiver transmitindo os pensamentos do pilotinho de foguete, eles não estarão por perto por muito tempo?, disse Trump, no Twitter, sábado à noite.

Trump e Kim têm trocado cada vez mais insultos e ameaças pessoais enquanto Pyongyang corre para atingir sua meta de desenvolver um míssil nuclear capaz de atingir os Estados Unidos - algo que Trump jurou impedir.  

Analistas dizem que o crescimento da retórica está aumentando os riscos de um erro de cálculo de um lado ou do outro que pode gerar repercussões massivas.

A KRT, televisão estatal da Coreia do Norte, exibiu um vídeo no domingo mostrando dezenas de milhares de pessoas participando de um evento contra os Estados Unidos na praça Kim Il Sung em Pyongyang.

A KCNA, agência de notícias oficial da Coreia do Norte, disse que o evento tinha mais de 100 mil pessoas.

"Estamos aguardando o momento certo para ter a batalha final contra os EUA, o império maligno, e remover os EUA do mundo", disse a KCNA, citando Ri Il-bae, comandante dos Guardas Vermelhos. "Uma vez que o respeitoso comandante supremo Kim Jong-Un der a ordem, nós iremos aniquilar o grupo de agressores".

Esperto, maníaco e suicida: o que Trump já falou sobre Kim

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos