Órgão que fiscaliza testes nucleares detectou barulho perto de última posição de submarino argentino

VIENA (Reuters) - Uma entidade que fiscaliza a proibição de testes nucleares e administra uma rede global de pontos projetados para vasculhar explosões atômicas secretas detectou um "sinal incomum" na semana passada perto do local onde desapareceu um submarino argentino, informou o órgão nesta quinta-feira.

A Organização do Tratado de Proibição Completa de Testes Nucleares (CTBTO, na sigla em inglês), sediada em Viena, administra estações de monitoramento equipadas com dispositivos incluindo hidrofones -- microfones submarinos que examinam os oceanos em busca de ondas sonoras.

O "evento impulsivo submarino" detectado no dia 15 de novembro foi curto, incomum e não natural na origem, disse o engenheiro acústico da CTBTO Mario Zampolli à Reuters. "Pode ser consistente com uma explosão, mas não há certeza sobre isso".

Mais cedo nesta quinta-feira, um porta-voz da Marinha argentina informou que um som anormal detectado no Atlântico Sul por volta do momento em que o submarino enviou seu último sinal na semana passada é "consistente com uma explosão".

(Reportagem de François Murphy)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos