Trump estimula boicote à rede de televisão CNN

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, estimulou um boicote contra a CNN nesta quarta-feira, potencializando sua briga contra a rede de televisão, enquanto seu governo contesta o acordo da AT&T para comprar a Time Warner, dona da CNN.

Trump tem criticado o acordo proposto, que o Departamento de Justiça buscar impedir com uma ação. Especialistas jurídicos dizem que os ataques do presidente contra a CNN podem prejudicar o caso do seu governo.

Trump, que regularmente ataca a mídia tradicional, tem há muito tempo criticado a CNN, chamando a rede de "fake news" (notícias falsas) e dizendo que não assiste mais o canal, enquanto elogia sua rival, a Fox News. Seu chamado por um boicote parece representar uma intensificação de seus ataques.

"Ótimo, e nós deveríamos boicotar a Fake News CNN. Lidar com eles é uma total perda de tempo", escreveu Trump no Twitter.

Trump estava respondendo a uma publicação de sua porta-voz, Sarah Sanders, que em sua própria conta comemorou, na terça-feira, a notícia de que a CNN não compareceria à festa de Natal realizada anualmente para veículos da mídia na Casa Branca.

Não ficou claro se Trump estava convocando um amplo boicote contra a CNN ou somente por parte de funcionários da Casa Branca. Representantes da Casa Branca não responderam de imediato a um pedido por comentários.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos