Oeste da América do Norte verá lua ficar vermelha durante raro eclipse

Por Alex Dobuzinskis

LOS ANGELES (Reuters) - Moradores do oeste da América do Norte programaram seus despertadores para tocar antes do nascer do sol nesta quarta-feira para assistir a um tipo raro de eclipse lunar conhecido como "Superlua Azul de Sangue".

Como acontece em todos os eclipses lunares totais, a Terra lançará uma sombra de tom avermelhado sobre a superfície de seu satélite natural --originando o termo "lua de sangue"--, mas outros dois fatores estão se combinando para tornar o espetáculo desta quarta-feira especialmente incomum.

O eclipse ocorrerá durante a ocasião rara de uma segunda lua cheia no mesmo mês, também conhecida como "lua azul", e no ponto da órbita lunar no qual a lua alcançou sua posição mais próxima da Terra, o que a faz parecer maior e mais brilhante do que o normal no céu, uma "super lua".

A aparência avermelhada da superfície lunar --a imagem da lua não se apaga totalmente durante o eclipse-- se deve aos raios de sol que atravessam a atmosfera terrestre enquanto a lua entra na sombra de nosso planeta.

A última vez em que estas três condições ocorreram durante um único eclipse lunar visível da América do Norte foi em 1866, de acordo com a empresa de previsões meteorológicas AccuWeather.

(Reportagem de Alex Dobuzinskis)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos