PUBLICIDADE
Topo

Polícia mata ao menos 37 rebeldes maoístas na região central da Índia

24/04/2018 13h17

Por Rajendra Jadhav

MUMBAI, Índia (Reuters) - O número de militantes maoístas mortos em uma emboscada feita por forças de seguranças indianas aumentou para 37 depois que corpos foram tirados de um rio nesta terça-feira, disseram autoridades.

Após um confronto de quatro horas no domingo, cerca de 16 militantes, incluindo mulheres, foram encontrados mortos, mas a polícia disse que um número desconhecido foi baleado quando tentava escapar pelo rio Indravati. Os corpos começaram a boiar na segunda.

"Retiramos 15 cadáveres do rio na segunda-feira e na terça-feira", disse Prashant Diwate, porta-voz da polícia em Gadchiroli.

A polícia também matou a tiros seis guerrilheiros naxalitas na noite de segunda.

A operação de domingo aconteceu no mesmo distrito, na divisa entre os Estados de Maharashtra e Chattisgarh, cerca de mil quilômetros a leste de Mumbai.

Camponeses sem-terra e membros de tribos formam os naxalitas, movimento cuja origem data do final da década de 1960.

O nome é derivado de uma vila no Estado de Bengala Ocidental, onde o grupo foi fundado. Naquela época eles usavam arcos e flechas, mas atualmente estão armados com rifles automáticos Kalashnikov e com armas capturadas em invasões a postos policiais.

Envolvidos em uma insurgência no interior do país há algumas décadas, os naxalitas têm recebido financiamento de grupos comunistas de dentro e de fora do país e eles são contados na casa das dezenas de milhares.