Dezenas de palestinos são feridos por tiros e gás lacrimogêneo de Israel em protestos na fronteira de Gaza

Por Nidal al-Mughrabi

FRONTEIRA DE GAZA (Reuters) - Dezenas de palestinos que protestavam na fronteira de Gaza foram feridos por tiros e gás lacrimogêneo disparados por Israel nesta sexta-feira, quando a rodada mais recente de protestos atraiu diversos milhares de participantes à fronteira.

Chamada de Marcha do Retorno, os protestos foram iniciados em 30 de março para exigir o direito de retorno de refugiados palestinos e seus descendentes para terras familiares ou lares perdidos para Israel durante sua fundação em uma guerra em 1948.

    Protestos ao longo da fronteira alcançaram um ápice em 14 de maio, quando fontes médicas de Gaza disseram que ao menos 60 palestinos foram mortos por tiros israelenses. A violência tem diminuído, mas ainda há afloramentos esporádicos.

    Desde que os protestos começaram, 113 palestinos foram mortos por tiros israelenses, disseram autoridades médicas de Gaza.

A maioria dos participantes nesta sexta-feira manteve distância e permaneceu a cerca de 800 metros da barreira. Dezenas de jovens, no entanto, ficaram a cerca de 300 metros de distância e queimaram pneus em um local de protesto. A leste da Cidade de Gaza, alguns jovens subiram na cerca e tentaram retirá-la.

Autoridades do Ministério da Saúde de Gaza disseram que ao menos 109 manifestantes ficaram feridos. Segundo médicos, ao menos 10 ficaram feridos por tiros.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos