Kremlin diz que Roman Abramovich tem direito de solicitar cidadania israelense

MOSCOU (Reuters) - O Kremlin disse nesta terça-feira que o bilionário russo Roman Abramovich tem todo o direito de solicitar a cidadania israelense e que sua decisão de adquirir outro passaporte não tem grande importância.

Abramovich, dono do time de futebol inglês Chelsea que descobriu não ter um visto para o Reino Unido, adotou a cidadania israelense na segunda-feira e se mudará para Tel Aviv, onde comprou uma propriedade, informou o site de notícias israelense Ynet.

Abramovich, de 51 anos, sempre teve boas relações com o Kremlin e serviu como governador de uma região remota da Rússia entre 2000 e 2008.

"O Kremlin não acha nada disso", respondeu o porta-voz Dmitry Peskov aos repórteres quando indagado sobre a mudança de Abramovich.

"Um empreendedor recebeu cidadania israelense. E daí? É um direito dele."

Com uma fortuna de 10,8 bilhões de dólares, Abramovich é o 11º homem mais rico da Rússia, segundo estimativas da revista Forbes. Ele a acumulou na indústria petroleira russa nos anos 1990, comprou o Chelsea em 2003 e desde então ajudou a fazer do clube um dos mais bem-sucedidos do Premier League.

(Por Tom Balmforth e Polina Ivanova)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos