Gregos entram em greve contra austeridade e reformas exigidas por credores

ATENAS (Reuters) - Trabalhadores gregos entraram em greve nesta quarta-feira para protestar contra anos de apertos nas contas e uma nova leva de medidas de austeridade que entrarão em vigor depois que o terceiro pacote de resgate financeiro internacional do país expirar.

Alguns voos não partiram, navios não puderam zarpar e o transporte público sofreu interrupções durante a mobilização nacional de um dia organizada pelas maiores centrais sindicais gregas, tanto do setor privado, a GSEE, como do setor público, Adedy.

Desde que a crise da dívida grega teve início em 2009, a Grécia recebeu 260 bilhões de euros em empréstimos emergenciais em troca da implantação de medidas de austeridade, como demissões no funcionalismo público, aumento de impostos e cortes nas aposentadorias.

"O governo, que implanta as mesmas políticas que destruíram o povo e a economia, está carregando as costas de trabalhadores e pensionistas com novas medidas insuportáveis", disse o GSEE em um comunicado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos