PUBLICIDADE
Topo

Eleitores suíços rejeitam em referendos mais ajuda aos agricultores

23/09/2018 14h56

ZURIQUE (Reuters) - Eleitores suíços decisivamente rejeitaram mais ajuda aos agricultores em dois referendos neste domingo, atendendo aos alertas do governo de que as medidas elevariam os preços dos alimentos e prejudicariam a economia, mostraram projeções da emissora SRF.

Pesquisas de opinião indicaram que o apoio generalizado a mais ajuda aos agricultores estava dimimuindo à medida que a votação se aproximava e mais detalhes sobre prováveis custos emergiam.

O ministro da Economia, Johann Schneider-Ammann, chamou as propostas de "perigosas" e disse que elas podem desencadear elevações de tarifas e outras represálias por parte de parceiros comerciais.

Uma proposta, apelidada de iniciativa Fair Food, pedia que todos os produtos na Suíça viessem de fontes sustentáveis e que a rotulagem fosse mais precisa. A sugestão visa melhorar o bem-estar animal e garantir que as importações de alimentos atendam os padrões mais elevados da Suíça.

Eleitores devem rejeitar a medida por uma margem de 63 por cento, conforme projeções da gfs.bern.

Apoiadores como o Partido Verde e o Social Democratas argumentaram que a medida beneficiaria consumidores, animais, produtores e o meio ambiente.

Outra proposta sugeria o aumento da ajuda estatal aos agricultores do país. O número de produtores caiu pela metade desde 1985, com três propriedades agrícolas fechando a cada dia.

A contribuição da agricultura para economia suíça caiu para menos de 1 por cento, ante 2 por cento em 1985.

Os referendos foram realizados depois que grupos agrícolas e ambientalistas reuniram mais de 100 mil assinaturas necessárias para convocação de uma votação pelo sistema de democracia direta da Suíça.

O governo disse que as demandas levariam a subsídios mais elevados ou fixação de preços, uma alegação que os apoiadores das medidas rejeitaram.

(Por Michael Shields)