PUBLICIDADE
Topo

Para melhorar imagem, rei saudita nomeia ex-ministro das Finanças como chanceler

27/12/2018 20h12

Por Marwa Rashad e Katie Paul

RIAD/DUBAI (Reuters) - O rei da Arábia Saudita nomeou nesta quinta-feira um experiente ministro das Finanças para o cargo de chanceler, tendo como um dos objetivos melhorar a imagem do reino após a crise causada pelo assassinato de um jornalista e o desgaste com a guerra no Iêmen.

O governo saudita se tornou alvo de duras críticas da comunidade internacional em decorrência do assassinato, dentro do consulado saudita em Istambul, em outubro, do jornalista Jamal Khashoggi, que trabalhava para veículos de imprensa dos Estados Unidos.

Outra fonte de críticas é a intervenção no Iêmen, onde milhões de pessoas estão ameaçadas de morte por inanição por causa da interrupção de rotas de abastecimento devido à guerra liderada pela Arábia Saudita contra o movimento Houthi, que controla a capital iemenita.

Tais acontecimentos têm prejudicado gravemente a imagem do filho e herdeiro do rei Salman, o príncipe Mohammed, de 33 anos, que está destinado a substituir o pai na primeira troca geracional de poder do reino em mais de 65 anos.

Em uma reforma ministerial, Ibrahin al-Assaf, que atuou como ministro das Finanças por 20 anos e representou a Arábia Saudita no Fundo Monetário Internacional e no Banco Mundial, foi nomeado como ministro das Relações Exteriores no lugar de Adel al-Jubeir.

Especialistas em política saudita dizem que a medida reflete a percepção de que Jubeir, um diplomata veterano, teve a imagem prejudicada por ter sido o rosto em defesa da Arábia Saudita durante o caso Khashoggi.