PUBLICIDADE
Topo

Indústria alimentícia britânica alerta para riscos de Brexit sem acordo

28/01/2019 15h59

Por James Davey

LONDON (Reuters) - A segurança alimentar do Reino Unido pode correr riscos se o país se desfiliar da União Europeia sem um acordo e se deparar com obstáculos abruptos para negociar com o bloco, disse um grupo de lobby que representa empresas como Sainsbury's, Asda, McDonald's e KFC nesta segunda-feira.

Líderes empresariais expressaram alarme com a perspectiva de caos nos portos se o Reino Unido não acertar os termos de sua saída da UE, agendada para 29 de março.

O Consórcio Varejista Britânico (BRC) fez seu alerta mais recente em uma carta enviada a parlamentares, que também foi assinada pelos diretores das redes de supermercados Co-operative, Marks & Spencer e Lidl and Waitrose.

"Embora estejamos trabalhando estreitamente com nossos fornecedores em planos de contingência, não é possível mitigar todos os riscos às nossas cadeias de suprimento, e como resultado tememos transtornos significativos no curto prazo se não houver acordo do Brexit", disse a carta.

"Estamos, portanto, pedindo a vocês que trabalhem urgentemente com seus colegas no Parlamento para encontrar uma solução que evite o choque de um Brexit sem acordo em 29 de março e anule estes riscos para os consumidores do Reino Unido".

O documento observou que quase um terço dos alimentos consumidos no país vem da UE. A situação seria ainda mais grave em março, período do ano em que a produção agrícola britânica está fora de temporada e 90 por cento das alfaces, 80 por cento dos tomates e 70 por cento das frutas silvestres são fornecidos pelo bloco.