Topo

Marine Le Pen classifica expressão "modo de vida" na UE como "vitória ideológica"

15/09/2019 15h49

Por Simon Carraud

FREJUS, França (Reuters) - A líder da oposição de extrema-direita francesa Marine Le Pen entrou na polêmica sobre a nomeação de um comissário da União Europeia para "proteger o modo de vida europeu", endossando uma medida que alimenta a preocupação com o crescente populismo no continente.

Le Pen, líder da antiga Frente Nacional, renomeada no ano passado para Rali Nacional, saudou a nomeação como uma "vitória ideológica" durante um discurso neste domingo em que ela também traçou seu caminho para outra corrida presidencial em 2022.

Dirigindo-se a simpatizantes na cidade de Frejus, na Riviera Francesa, Le Pen procurou aproveitar o sentimento antigoverno por trás dos protestos dos "coletes amarelos" no país, com renovadas promessas de melhorar o poder de compra, deter ou reverter privatizações e combater o declínio rural.

Ursula von der Leyen, nova presidente da Comissão Europeia da UE, foi alvo de críticas nesta semana por mencionar "modo de vida" na descrição do trabalho do novo comissário responsável pela imigração - com críticos ridicularizando o título como slogan de extrema-direita.

"Isso confirma nossa vitória ideológica", afirmou Le Pen. Sob pressão de governos nacionais, acrescentou ela, a União Europeia "tem sido forçada a admitir que a imigração cria dúvidas sobre o futuro do modo de vida dos europeus".

Jean-Marie Le Pen, pai e predecessor de Marine como chefe da Frente Nacional, foi alvo na sexta-feira de uma investigação francesa de longa data sobre o suposto uso indevido de fundos do Parlamento Europeu para pagar funcionários do partido de 2009 a 2017.

Desde 2011, quando Marine Le Pen assumiu a liderança, o partido procurou ampliar seu apelo e aparar suas margens de extrema-direita, com resultados mistos.

Em 2017, ela não conseguiu chegar ao segundo turno das eleições presidenciais - um feito que seu pai havia realizado há 15 anos, antes de perder o duelo com Jacques Chirac. Mas o Rali Nacional ficou em primeiro lugar nas eleições europeias da França em 26 de maio.

Ao lamentar a crescente divisão rural-urbana do país neste domingo, Le Pen apresentou seu argumento para as eleições municipais francesas de março de 2020 e as cédulas regionais no ano seguinte - incluindo promessas de nacionalizar a infraestrutura e ajustar a política tributária em favor dos trabalhadores e regiões de baixa renda.

"Cada eleição é uma oportunidade para nossa família política anexar outro mosquetão na encosta que antecede o topo", disse ela. "E o topo é o Eliseu."

Mais Notícias