PUBLICIDADE
Topo

Premiê britânica Theresa May assume negociações do Brexit com UE

24/07/2018 14h51

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, assumiu nesta terça-feira (24) a liderança das negociações sobre a saída do Reino Unido da UE, até agora nas mãos do ministro encarregado do Brexit, uma mudança projetada para ganhar "eficiência" à medida que o “divórcio” com o bloco se aproxima.

Londres e Bruxelas devem chegar a um acordo até outubro para organizar o Brexit, programado para 29 de março de 2019, e estabelecer as bases para suas futuras relações. Mas os europeus estão preocupados com o estado das negociações e os constantes questionamentos a respeito da estratégia da primeira-ministra britânica.

"É essencial que o governo se organize da maneira mais eficaz para permitir que o Reino Unido deixe a União Europeia", disse Theresa May em uma declaração escrita ao Parlamento britânico. "Com este objetivo, estou fazendo algumas mudanças na divisão de funções dentro do governo”, acrescentou a líder conservadora.

O Ministério do Brexit (DexEU) "continuará conduzindo todos os preparativos do governo" para deixar a UE e "eu me encarregarei das negociações com a União Europeia", disse Theresa May.

Concretamente, esta nova divisão de poderes tira do DeXEU uma grande parte das suas responsabilidades, favorizando a "Europe Unit", um serviço executivo dirigido pelo consultor de Theresa May para a UE, Olly Robbins, que trabalha diretamente sob as ordens da primeira-ministra. Em outras palavras, como o jornal The Guardian apontou nesta terça-feira: o ministro do Brexit "foi rebaixado".

A mudança marca uma clara ruptura com o funcionamento do executivo britânico há algumas semanas: o Ministério do Brexit era liderado por David Davis, um defensor de uma saída intransigente da UE que não hesitou em se opor a Theresa May sobre o conteúdo das negociações com Bruxelas.

Davis acabou batendo a porta do governo no início de julho, assim como o ministro das Relações Exteriores, Boris Johnson, que também defendia um Brexit brutal; os dois homens acusavam Theresa May de manter relações comerciais estreitas e "regras comuns" com o bloco europeu.

A mudança conclui uma sequência política onde a primeira-ministra obteve várias vitórias no Parlamento britânico, mas não conseguiu pôr fim às divisões sobre o Brexit, que representam uma ameaça permanente à sua liderança. Apesar de Theresa May ter agora as rédeas das negociações, ela não deve discutir diretamente com o negociador-chefe da UE para o Brexit, Michel Barnier: o novo ministro britânico do Brexit, Dominic Raab, deve permanecer "o principal interlocutor" nas discussões com os europeus.