PUBLICIDADE
Topo

A dois dias de flexibilizar isolamento, Itália tem alta de mortos por Covid-19

02/05/2020 16h54

Em seu balanço diário sobre a epidemia de coronavírus, a Itália anunciou neste sábado (2) 474 novas mortes no país. A alta acontece a apenas dois dias do início da flexibilização do confinamento, mas as autoridades garantem que ela se deve a mortes não contabilizadas em abril.

Em seu balanço diário sobre a epidemia de coronavírus, a Itália anunciou neste sábado (2) 474 novas mortes no país. A alta acontece a apenas dois dias do início da flexibilização do confinamento, mas as autoridades garantem que ela se deve a mortes não contabilizadas em abril.

Com os novos registros, a Itália tem um total de 28.710 mortes pela Covid-19 e continua sendo o país mais afetado pela doença da Europa. Em abril, 282 pessoas morreram em casa ou em asilos na região da Lombardia, epicentro da pandemia no país. Sem esses números, a tendência da evolução da epidemia no país é positiva. Desde sexta-feira (1°), foram registradas 192 novas mortes, o que não ocorria desde 14 de março.

Antes da divulgação do novo balanço, o chefe da Defesa Civil, Domenico Arcuri, pediu neste sábado para que os italianos continuem a adotar medidas de proteção, principalmente agora que o país se prepara para aliviar ainda mais o confinamento imposto para frear a pandemia que já matou mais de 28 mil pessoas. "Nesta segunda-feira, começa a segunda fase. Temos que ter consciência de que será o início de um desafio ainda maior", advertiu Arcuri.

Após uma quarentena de dois meses, os italianos poderão passear em parques e visitar parentes. Restaurantes poderão vender comida para viagem, e lojas, irão reabrir. Cientistas irão acompanhar de perto a taxa de infecção pelo vírus nessa nova fase. O primeiro-ministro Giuseppe Conte advertiu que se a epidemia voltar a crescer significativamente, o isolamento poderá ser decretado novamente nas regiões de reincidência.

"Devemos manter o distanciamento social, os níveis máximos de higiene e as máscaras. Fizemos o melhor que podíamos. A partir de segunda-feira, dependerá de vocês", disse Domenico Arcuri em entrevista coletiva. "Imploro, não baixem a guarda."

Testes generalizados

Como em outros países, a capacidade de testar a população e o uso de máscaras no espeço público são considerados essenciais para evitar uma nova onda de contaminação. A partir da próxima semana, as autoridades sanitárias deverão realizar cerca de 150 mil testes sorológicos para detectar a presença do coronavírus na população e obter uma imagem mais clara da sua taxa de propagação.

A partir da próxima segunda-feira, cerca de 50 mil estabelecimentos comerciais venderão máscaras a um preço máximo de € 0,50, estabelecido pelo governo. O número de pontos de venda dobrará em meados do mês. A Itália produzirá 4 milhões de máscaras por dia em meados de junho, 25 milhões em meados de julho e 35 milhões em meados se agosto, segundo Arcuri.

As escolas permanecerão fechadas até setembro, mas creches e jardins de infância poderão reabrir em junho. A reabertura se dará em pequenos grupos, de três a seis crianças, de 0 a 6 anos. A temperatura de cada aluno será checada na entrada do estabelecimento, detalhou o jornal "Corriere della Sera", citando um plano do Ministério da Educação. Apenas os professores usarão máscaras.

O fechamento das escolas até setembro, que prejudica principalmente as mulheres que trabalham fora, gerou críticas na Itália. O premiê italiano, para justificar a medida, insistiu, em várias ocasiões, no potencial de contágio das crianças e no risco de a epidemia ganhar força e infectar os professores.

 A Itália tem o corpo docente mais velho entre os países da OCDE. Quase 60% dos professores têm mais de 50 anos. Mais de 8,5 milhões de jovens italianos não vão à escola desde o início do confinamento, em 10 de março. Devido à falta de computadores nos lares, muitos não puderam acompanhar o programa escolar a distância.

Futebol

Bologna, Sassuolo e Parma, clubes da primeira divisão do futebol italiano, irão reabrir seus centros de treinamentos para que seus jogadores possam se exercitar, depois de receberem o sinal verde das autoridades. Desde sexta-feira, os times da Serie A insistiram que a vontade de concluir a temporada em andamento, interrompida desde março, era unânime. Uma decisão sobre o caso deverá ser anunciada pelas autoridades italianas nos próximos dias.

Oficialmente, os treinos estão proibidos até 18 de maio para esportes coletivos na Itália. No caso de modalidades individuais, os atletas foram autorizados a voltar a treinar a partir de segunda-feira.

 

Notícias