PUBLICIDADE
Topo

PM de folga usa arma para ameaçar homem devido a moto estacionada no DF

Jéssica Nascimento

Colaboração para o UOL, em Brasília

20/01/2020 12h16

Imagens que circulam pelas redes sociais mostram um policial militar agredindo, sacando uma arma e fazendo ameaças a um motoboy em Taguatinga, no Distrito Federal. A briga ocorreu na noite de ontem, após o PM exigir que o entregador retirasse a moto que estava estacionada em frente à guarita do prédio.

Por volta de 21h, na QI 12, o militar discutiu com o motoboy. O PM é morador do prédio e não estava em horário de serviço naquele momento. O vídeo mostra o policial militar perguntando se o entregador é "moleque doido" e depois o chama para briga: "então cai pra dentro". O motoboy nega e diz que o respeita porque é policial.

Depois, o entregador aparece sentado no chão do prédio com o celular na mão. O policial militar pergunta se ele vai filmá-lo e parte pra cima do motoboy. Segundos depois, saca uma arma da cintura e aponta para o entregador.

"Tira a moto agora", exige o policial. O motoboy rebate: "Só se você pedir por favor". Após a discussão, os dois foram para a 12ª Delegacia de Polícia, localizada em Taguatinga Centro, e a ocorrência foi registrada pelo próprio PM. Testemunhas foram ouvidas e o motociclista encaminhado para o Instituto de Medicina Legal (IML).

Em nota, a Polícia Militar disse que o entregador possui passagens pela polícia por porte ilegal de arma de fogo, receptação, desacato, entre outras.

"A PMDF vai analisar as imagens para verificar e apurar qualquer excesso", informou a corporação. O UOL tenta localizar o entregador.

Vizinhos se dividem

Moradora do prédio, a assistente de recursos humanos Cleia Pinheiro afirma ter ficado chocada com as imagens. Segundo ela, as agressões não justificam o fato de o motoboy ter estacionado em um lugar irregular.

"Foi uma selvageria. Era só pedir para ele sair e pronto ou esperar que ele entregasse a comida. Foi lamentável isso ter acontecido onde moro. Um policial deve proteger, não ameaçar", comenta.

O professor Daniel Mota conta que brigas por estacionamento são comuns no prédio. Por isso, foi criada uma área específica para entregadores. "Eu não estava no momento. Mas acredito que a portaria tenha chamado o policial. Ele é tranquilo, educado. Acho que se excedeu. Todos os moradores estão chocados. Mas existem três versões: a dele, a do motoboy e a verdade. Espero que seja apurado e a polícia faça o que for melhor", diz.

Cotidiano