Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/ciencia/album/2015/05/09/pesquisadores-brasileiros-inventam-plastico-comestivel-feito-de-vegetais.htm
  • totalImagens: 9
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20150509060000
    • Meio ambiente [11359]; Ciência [45097];
Fotos

9.mai.2015 - Pesquisadores da Embrapa Instrumentação, de São Carlos (SP), desenvolveram uma série de películas comestíveis que funcionam como plástico, que além de ser biodegradável, pode ser utilizado no preparo dos alimentos Embrapa/Divulgação Mais

9.mai.2015 - A matéria-prima é composta por água, polpa de fruta e carboidratos vegetais. O "plástico" e se decompõe em três meses e pode ser utilizado como adubo, ou mesmo descartado na rede de esgoto, sem prejuízos. Além disso, ele tem capacidade de conservar os alimentos pelo dobro do tempo. O plástico convencional, por sua vez, demora 400 anos para se decompor. Embrapa/Divulgação Mais

9.mai.2015 - O material tem características físicas semelhantes aos plásticos convencionais, como resistência e textura, e tem igual capacidade de proteger alimentos. Além disso, o “plástico orgânico” apresentou propriedades mecânicas superiores aos plásticos sintéticos. Em laboratório, os produtos se mostraram mais resistentes ao impacto, além de serem três vezes mais rígidos que os plásticos sintéticos Embrapa/Divulgação Mais

9.mai.2015 - O plástico foi desenvolvido após duas décadas de trabalho e o processo de produção é considerado simples. Primeiramente, a matéria-prima, como frutas e verduras, é transformada em uma pasta. A seguir, os pesquisadores adicionam componentes para dar liga no material e o colocam em uma fôrma transparente, que será levada a uma câmara que emite raios ultravioleta. Após poucos minutos, a película sai da máquina pronta para ser consumida Embrapa/Divulgação Mais

9.mai.2015 - Primeiramente, a matéria-prima, como frutas e verduras, é transformada em uma pasta. A seguir, os pesquisadores adicionam componentes para dar liga no material e o colocam em uma fôrma transparente, que será levada a uma câmara que emite raios ultravioleta. Após poucos minutos, a película sai da máquina pronta para ser consumida. Embrapa/Divulgação Mais

9.mai.2015 - Películas comestíveis que funcionam como plástico estão sendo desenvolvidas por pesquisadores da Embrapa Instrumentação, de São Carlos (SP). Os sabores incluem espinafre, mamão, goiaba e tomate, mas a técnica permite que outros sabores sejam desenvolvidos. Compostas por água, polpa de fruta e carboidratos vegetais, as películas são biodegradáveis. Elas se decompõem em três meses e podem ser utilizadas como adubo, ou mesmo descartadas na rede de esgoto, sem prejuízos Embrapa/Divulgação Mais

9.mai.2015 - Pesquisador da Embrapa Instrumentação, de São Carlos (SP), trabalha no desenvolvimento de película comestível. Ela funciona como plástico e, além de ser biodegradável, pode ser utilizada no preparo dos alimentos. A matéria-prima é composta por água, polpa de fruta e carboidratos vegetais. O "plástico" e se decompõe em três meses e pode ser utilizado como adubo, ou mesmo descartado na rede de esgoto, sem prejuízos Embrapa/Divulgação Mais

9.mai.2015 - Películas comestíveis que funcionam como plástico estão sendo desenvolvidas por pesquisadores da Embrapa Instrumentação, de São Carlos (SP). Essa da foto tem gosto de beterraba e pode ser usada, inclusive, no preparo de alimentos. Compostas por água, polpa de fruta e carboidratos vegetais, as películas são biodegradáveis. Elas se decompõem em três meses e podem ser utilizadas como adubo, ou mesmo descartadas na rede de esgoto, sem prejuízos Embrapa/Divulgação Mais

9.mai.2015 - Películas comestíveis que funcionam como plástico estão sendo desenvolvidas por pesquisadores da Embrapa Instrumentação, de São Carlos (SP). Os sabores incluem espinafre, mamão, goiaba e tomate, mas a técnica permite que outros sabores sejam desenvolvidos. Compostas por água, polpa de fruta e carboidratos vegetais, as películas são biodegradáveis. Elas se decompõem em três meses e podem ser utilizadas como adubo, ou mesmo descartadas na rede de esgoto, sem prejuízos Embrapa/Divulgação Mais

Pesquisadores brasileiros inventam plástico comestível feito de vegetais

ÚLTIMOS ÁLBUNS DE UOL CIÊNCIA

UOL Cursos Online

Todos os cursos