Se a pessoa dormir depois de bater a cabeça pode não acordar?

Bia Souza

Do UOL, em São Paulo

  • Getty Images/iStockphoto

Já diziam as avós: "Não pode deitar depois de bater a cabeça, ou não acorda mais". Parece mito, mas existe uma explicação científica para esse conselho.

Nas primeiras duas horas são medidas reações que identificam a gravidade do trauma. Se o indivíduo dormir nesse período não é possível verificar sintomas como dificuldade visual e déficit motor, que são considerados critérios de alerta

Gabriel Treiger, clínico-geral do hospital Americas Medical City

 Bater a cabeça nem sempre é algo grave. Pode ser apenas um acidente que vai formar um galo, o que uma boa compressa com gelo resolveria, ou pode ocorrer uma concussão cerebral, uma lesão causada pelo impacto.

De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC), uma concussão é um "tipo de lesão cerebral traumática causada por uma pancada, golpe ou sacudida que faz o cérebro se movimentar rapidamente para frente e para trás. Este movimento súbito pode danificar as células cerebrais criando mudanças químicas no cérebro. Em alguns casos, pode haver o rompimento de um vaso sanguíneo.

Mas não é dormir que provoca alguma piora no trauma e sim que o sono repentino pode ser um sintoma neurológico. "Uma criança que tem uma batidinha leve pode dormir, contanto que a mãe acorde depois de um tempo para ver se está tudo bem", explica Mirto Nelso Prandini, neurologista da Unifesp.

Getty Images/iStockphoto
Um dos testes feitos para verificar as condições da pessoa que bateu a cabeça é a avaliação por meio da Escala de Coma de Glasgow, que mede o nível de consciência após uma lesão cerebral. O método verifica sinais como abertura dos olhos e respostas verbais e motoras. Para cada nível de resposta do paciente os médicos atribuem uma pontuação.

Antigamente não existiam exames de imagem como a tomografia, então a observação neurológica era muito importante. Hoje em dia essa observação, quando necessária, é realizada em ambiente hospitalar, por profissionais treinados, que observam também outros parâmetros, como a postura e movimentação de braços e pernas, o tipo de respiração, a frequência cardíaca e a pressão arterial. Caso tenham alguma dúvida, tentam acordar o paciente

Arthur Poetscher, neurocirurgião do Hospital Israelita Albert Einstein

O que acontece na cabeça?

O cérebro possui artérias e veias. As artérias são vasos que levam o sangue com oxigênio por meio do bombeamento do coração. A pressão nelas é mais forte pois é impulsionada para atingir todos os órgãos. Por isso, quando uma se rompe os sintomas aparecem rapidamente. No caso de pequenas veias, os sintomas podem aparecer até semanas depois.

Getty Images/iStockphoto
Mas qualquer queda é sinônimo de ficar acordado para verificar?

Para os especialistas, o sinal mais claro de que a batida requer atendimento médico é a perda da consciência. Além disso, se a pessoa passar a falar enrolado, vomitar ou não enxergar normalmente também deve ser encaminhada ao hospital.

Quem perdeu a consciência por um minuto precisa ser mantido no hospital por pelo menos 12h mesmo que a tomografia não aponte nada. Pois o sangramento pode aparecer durante esse período. Um bom atendimento de urgência define uma vida com ou sem sequelas ou até mesmo um óbito

Mirto Nelso Prandini

Outra parte do corpo que precisa ser analisada é a coluna cervical. De acordo com os especialistas, a movimentação que causa um trauma craniano também pode lesar a coluna de uma forma que o paciente nem perceba. Para isso, é necessária uma avaliação médica.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos