PUBLICIDADE
Topo

Decisão de Fux sobre juiz de garantias, vistas as datas, é uma vergonha

Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa “O É da Coisa”, na BandNews FM. No UOL, Reinaldo trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Colunista do UOL

22/01/2020 18h13

O ministro Luiz Fux, no exercício da presidência do Supremo durante o recesso, concedeu liminar suspendendo o juiz de garantias até que a questão seja julgado pela Corte.

A decisão não é de Fux, mas do candidato à presidência que não ousa dizer seu nome: Sérgio Moro., que hoje atua abertamente contra seu chefe.

Não há inconstitucionalidade nenhuma na lei. Se a maioria dos ministros tiver juízo, essa será a evidência triunfante.

Fux está jogando pra torcida morista. Resolveu entrar na concorrência para saber quem é a toga armada do MPF no tribunal.

A Associaçao Nacional dos Membros do Ministério Público entrou com com Ação Direta de inconstitucionalidade nesta segunda. Fux assumiu o plantão no domingo.

Os procuradores cruzaram a bola, e Fux cabeceou com sua peruca eloquente.

Vergonha!

A esperança é mobilizar a extrema-direita morista até o pleno se debruçar sobre a questão.

Reinaldo Azevedo