PUBLICIDADE
Topo

Brasileiros no exterior lançam "Preserva Brasil" em defesa da democracia

Reprodução
Imagem: Reprodução
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa "O É da Coisa", na BandNews FM. No UOL, Reinaldo trata principalmente de política; envereda, quando necessário - e frequentemente é necessário -, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Colunista do UOL

07/09/2020 05h52

Foi lançado neste domingo, em Genebra, o manifesto "Preserva Brasil". Trata-se de um texto em defesa da democracia brasileira e, como querem seus organizadores, "da convivência entre todas as tendências políticas", desde que empenhadas na preservação das instituições.

O manifesto está aberto à adesão de brasileiros que, longe de seu país, experimentam a aflição de constatar o permanente ataque à ordem democrática por aqui, com manifestações explícitas de intolerância, de preconceito e de intimidação.

Para assinar o manifesto, clique aqui.

O lançamento do "Preserva Brasil" se deu às 11h deste domingo, no horário de Brasília, e se fez acompanhar de uma conversa entre quatro jornalistas: em Genebra, Jamil Chade e Jean-Jacques Fontaine; no Rio, Fernando Gabeira, e este escriba em São Paulo.

O texto foi lido pelo médico brasileiro Palmyr Virgilio Jr., e Marília Lobão fez a mediação — ambos na Suíça.

Segue o manifesto. Depois dele, o vídeo com que traz o debate.

Preserva Brasil

Somos brasileiros vivendo longe da nossa pátria, de nossa família e de nossos amigos, com os quais tanto nos preocupamos. Decidimos, como muitos dos milhões de brasileiros que moram por este mundo afora, expressar nossa solidariedade com o povo brasileiro, que está vivendo momentos muito difíceis durante esta pandemia, somados às constantes ameaças dirigidas à nossa Constituição e aos nossos direitos fundamentais.

As atuais tecnologias de comunicação nos mantêm permanentemente conectados às mais diversas e variadas informações, que mesmo sendo por vezes contraditórias, nos permitem constatar que o Brasil atravessa uma crise social, econômica e sanitária grave e até mesmo trágica para muitas famílias. Pedimos a união de todos os nossos compatriotas, onde quer que estejam, para atravessarmos de forma lúcida e responsável essa preocupante crise.

Lamentamos o processo de corrosão do espaço do diálogo republicano entre os poderes e a sociedade civil, que poderá levar ao colapso das instituições democráticas do país. Diante deste cenário, redigimos esse manifesto de Genebra para apoiar todos os brasileiros que têm como objetivo comum a preservação dos princípios constitucionais do nosso país.

Genebra é uma cidade suíça com tradição democrática e de acolhimento das diferenças. Lugar que abriga várias organizações internacionais que se destacam pela busca de soluções conciliatórias entre nações e que acolheu muitos brasileiros, refugiados políticos, durante o regime de ditadura militar que vigorou entre 1964 e 1985. O clima de apaziguamento das diferenças e de respeito à democracia que vivemos nesta cidade nos dá energia para trabalharmos no sentido de ver esse clima instalado também no Brasil.

"A DESPEITO DE NOSSAS DIFERENTES ETNIAS, CRENÇAS, IDEOLOGIAS E IDENTIFICAÇÕES PARTIDÁRIAS, QUEREMOS CONTRIBUIR PARA A PRESERVAÇÃO E O FORTALECIMENTO DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS BRASILEIRAS.

SOMENTE COM A SOLIDEZ DESSAS INSTITUIÇÕES TEREMOS LIBERDADE DE PENSAMENTO, DE EXPRESSÃO, DE ORGANIZAÇÃO SOCIAL E DE COEXISTÊNCIA DE DIFERENTES ORIENTAÇÕES POLÍTICAS LONGE DO AUTORITARISMO, DO POPULISMO, DA INTOLERÂNCIA E DA DEMAGOGIA."