PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Número de mortos pela chuva na região serrana do Rio passa de 900

Douglas Corrêa

Agência Brasil *

15/02/2011 23h05

Nova Friburgo recebeu mais de R$ 10 mi para reconstrução sem fornecer contratos, diz MP-RJ

Em pouco mais de um mês, mais de R$ 10 milhões recebidos do governo federal para as obras de reconstrução da cidade e nenhum contrato que explique com base em que instrumento legal as empresas que recebem esse dinheiro estão trabalhando. É essa a situação relatada nesta terça-feira (15) pela coordenação regional do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) em Nova Friburgo, na serra fluminense, cidade mais atingida pelas chuvas do mês passado.

O número de mortos na tragédia na região serrana do Rio de Janeiro subiu para 902. No dia 12 de janeiro uma enxurrada atingiu vários municípios.

Em Nova Friburgo, há 426 mortos. A cidade de Teresópolis - a segunda mais castigada - contabiliza 379 vítimas. O distrito de Itaipava, no município de Petrópolis tem 71 mortos; Sumidouro o maior produtor de verduras e legumes do Rio, tem 21 mortos; São José do Vale do Rio Preto, quatro; e Bom Jardim, um morto.

Desaparecidos
O Ministério Público do Rio (MP-RJ) espera, em um prazo máximo de 30 dias, checar o número de corpos ainda não identificados e o de pessoas desaparecidas em consequência do temporal de janeiro em Nova Friburgo, na região serrana fluminense.

O promotor de Justiça, Hedel Nara Ramos, disse à "Agência Brasil" que de 2% a 3% do total de corpos enterrados em Nova Friburgo ainda dependem de identificação. “A diferença entre os corpos já sepultados sem identificação (que são 38) e o de pessoas desaparecidas corresponde também ao número de corpos cujos parentes indicam os locais em que eles possivelmente estão. A rigor temos, me parece, um número muito próximo entre corpos sepultados e corpos ainda em trabalho de busca ou de número de desaparecidos”.


* Com informações de Nielmar de Oliveira, da Agência Brasil

Cotidiano