Topo

Antídoto para gás tóxico chega ao Rio Grande do Sul

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

02/02/2013 14h04

O antídoto para cianeto - gás tóxico inalado pelas vítimas do incêndio na Boate Kiss, em Santa Maria - chegou ao Rio Grande do Sul no início da tarde deste sábado (2). Setenta doses serão usadas nos pacientes internados nos hospitais da capital, e outras 70 vão para para Santa Maria.

Os kits vieram dos Estados Unidos, desembarcaram em Brasília pela manhã e foram levados imediatamente para a base aérea de Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre.

“O ideal é que o remédio seja administrado imediatamente após a inalação do gás”, afirma Carlos Eduardo Nery Paes, representante do Ministério da Saúde no Rio Grande do Sul.

“Não existem muitos estudos sobre o uso tardio do remédio, logo não temos nenhuma garantia de que irá funcionar. De qualquer forma, o medicamento não irá prejudicar os pacientes”.

A decisão de utilizar o medicamento foi tomada durante uma vídeo-conferência realizada na tarde de sexta-feira (1º). Participaram da transmissão representantes de hospitais brasileiros e médicos dos Estados Unidos e Canadá.

A inalação de fumaça tóxica deixa traços de cianeto no corpo, e prejudica as vias aéreas dos doentes. 

  • Arte UOL

    Clique na imagem e veja: os itens de segurança que podem evitar incêndios em casas noturnas

Mais Cotidiano