PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Chuva deixa trabalhadores ilhados e afeta transportes na Baixada Santista

Rafael Motta

Do UOL, em Santos (SP)

23/02/2013 11h45

A chuva que provocou deslizamentos no sistema Anchieta-Imigrantes e matou uma pessoa provoca transtornos na Baixada Santista. Trabalhadores do polo industrial de Cubatão (56 km de São Paulo) ainda estão ilhados nas empresas, e quem tenta seguir de Santos (72 km de São Paulo) para a capital paulista de ônibus é orientado a adiar a viagem.

A cidade de Cubatão decretou estado de emergência, após registrar 13 pontos de deslizamentos de terra e alagamentos em praticamente toda a área urbana. A situação mais crítica foi no bairro da Água Fria, onde a inundação atingiu quase três metros. Vários moradores precisaram ser retirados do local com a ajuda do helicóptero da Polícia Militar e por homens do Corpo de Bombeiros. A equipe da Defesa Civil Municipal está tentando chegar até o bairro mas há dificuldades por conta do acesso pela estrada e da lama acumulada no caminho.

Há no município 239 pessoas abrigadas no Centro Esportivo Castelão, a grande maioria vinda do bairro da Água Fria e algumas do Caminho dos Pilões.

Muitos trabalhadores ficaram impedidos de deixar o serviço, como funcionários do Fórum Municipal e do Ministério Público que acabaram passando a noite no local.

No bairro Fabril, três alunos, menores de idade, precisaram ficar abrigados na Escola Estadual Zenon Cleantes de Moura pois os pais não conseguiram buscá-las. Sob a tutela do município, as crianças foram levadas agora pela manhã para o abrigo montado no Castelão, onde esperam a presença dos responsáveis e estão sob os cuidados do Conselho Tutelar.

 

Problemas de transporte

As saídas de ônibus na estação rodoviária de Santos haviam sido interrompidas por volta das 17h30 de ontem (22), quando a precipitação era torrencial. Houve alagamentos, e o trânsito ficou congestionado e confuso nas avenidas que dão acesso ao Sistema Anchieta-Imigrantes. A venda de bilhetes foi retomada nesta manhã.

Às 10h30, uma atendente da rodoviária disse que “há menos ônibus porque alguns não chegaram. "A subida [da Serra do Mar] está levando de três a quatro horas. Para descer, uma eternidade. Se puder, viaje outro dia”, afirmou.

Quem tenta voltar para Santos e região também tem problemas. O jornalista Bruno Rios, 27, que chegou de Brasília ao Aeroporto de Congonhas às 20 horas de ontem (22), não conseguiu passagem de ônibus no Terminal Rodoviário do Jabaquara, em São Paulo.

“O que eu mais queria era voltar para casa, pois neste domingo (24) é aniversário de 79 anos da minha avó. Mas a chuva estragou meus planos. No Jabaquara, levei um susto ao ver, logo de cara, pessoas sentadas no chão jogando carteado. Filas imensas. Desordem nos guichês. Mais de 300 pessoas em pé. E as empresas suspendendo as vendas de passagens”, relatou Rios, que deixaria a capital ainda pela manhã.

Segundo a Defesa Civil de Santos, o índice pluviométrico é de 149,2 mm (milímetros) nas últimas 24 horas –mais do que os 91 mm acumulados entre o dia 1º deste mês e ontem. Em Cubatão, alcançou 250,4 mm nas 24 horas anteriores às 2h de hoje.

A chuva forte e deslizamentos de terra danificaram os sistemas de captação de água dos rios que abastecem a Baixada, mas o fornecimento não foi interrompido. A Sabesp, empresa responsável pelo serviço, pede economia à população.

Em bairros da zona noroeste de Santos, faltou energia elétrica por aproximadamente oito horas. De acordo com a CPFL Piratininga, concessionária do serviço, a colisão de um veículo em um poste interrompeu o fornecimento a 4.316 imóveis às 16h24 de ontem. A normalização completa ocorreu por volta de 0h de hoje.

Vídeo amador mostra local de deslizamento na Imigrantes

Morte na estrada

Às 3h15 de hoje, quase 11 horas após o acidente, o corpo de Lílian Aparecida de Souza, 43, foi retirado do km 52 da pista ascendente (de subida para a capital) da Rodovia dos Imigrantes, na altura de São Vicente.

Ao sair do carro em que viajava, por volta das 16h30 de ontem, Lílian foi vítima de uma queda de barreira na Imigrantes, que atingiu 23 veículos de passeio e uma carreta. O corpo foi levado ao IML (Instituto Médico-Legal) de Santos. Ainda não há informações sobre velório e enterro da vítima.

Cotidiano