PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Polícia de SP divulga retrato falado de suspeitos de matar dentista queimada

Retrato falado de dois suspeitos de matar dentista queimada em São Bernardo do Campo - Divulgação/SSP
Retrato falado de dois suspeitos de matar dentista queimada em São Bernardo do Campo Imagem: Divulgação/SSP

Larissa Leiros Baroni

Do UOL, em São Paulo

26/04/2013 17h05Atualizada em 26/04/2013 18h39

A SSP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo) divulgou na tarde desta sexta-feira (26) o retrato falado de dois suspeitos de matar a dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, 46. Ela foi queimada viva dentro de seu consultório, em São Bernardo do Campo (ABC Paulista), na quinta-feira (25), após os assaltantes constatarem que havia apenas R$ 30 em sua conta bancária.

Os retratos foram feitos a partir dos depoimentos de seis testemunhas, entre elas um frentista do posto de gasolina aonde os bandidos fizeram o saque e a paciente que era atendida por Cinthya no momento do assalto. De acordo com a polícia, ambos aparentam ter cerca de 25 anos. Informações sobre os suspeitos podem ser passadas pelo telefone (11) 4368-0166, 4367-1653, 4125-1377, 4345-2585 ou pelo disque-denúncia 181.  

A polícia, que trabalha com a hipótese de que o crime tenha sido cometido por quatro pessoas, já havia divulgado a imagem de um dos suspeitos, Jonathas Cassiano Araújo. Ele aparece em imagens captadas por uma câmera de segurança da loja de conveniência onde efetuou o saque com o cartão da vítima e está sendo procurado pela polícia --ainda não há, contudo, um pedido de prisão preventiva contra o Araújo.

“Apesar das evidências contra o Jonathas, que foi identificado por seis testemunhas e pela própria mãe, esperamos reunir mais provas contra ele para fazer o pedido”, disse o delegado-geral da Polícia Civil, Luiz Mauricio Souza Blazeck, ressaltando, ainda, que Araújo não tem antecedentes criminais. Segundo ele, o suspeito trabalhava como técnico de informática e estava desempregado há um mês. 

"É questão de honra para a polícia ver esses criminosos atrás das grades o mais rápido possível”, continuou Blazeck, que classificou o crime como “bárbaro” e os criminosos como “perigosos”.

Ainda não se sabe a motivação do crime contra Cinthya. A polícia, no entanto, descarta a participação de menores no caso. Ninguém foi preso. 

"Tortura psicológica"

Os investigadores suspeitam que o bando esteja envolvido em outros dois assaltos, um deles também em São Bernardo do Campo e outro no Sacomã (zona sul de São Paulo).

De acordo com o delegado Waldomiro Bueno Filho, titular da seccional de São Bernardo, uma dentista da capital paulista reconheceu Jonathas Araújo como um dos bandidos envolvidos em um assalto a seu consultório no último dia 18. Em depoimento, a vítima chegou a dizer que os bandidos também haviam ameaçado atear fogo nela. “O carro dessa dentista, que foi roubado durante a ação, foi encontrado em uma vaga do prédio de Araújo, em Diadema [ABC Paulista]”, disse Bueno Filho.

O envolvimento do bando nesses crimes foi levantado pela investigação por três fatores: "tortura psicológica", arma utilizada --identificada como uma pistola prateada-- e carro usado nos três crimes --um Audi preto, da mãe de Araújo. O veículo foi encontrado nesta sexta-feira em uma rua da periferia de Diadema e apreendido pela polícia. 

"Pode ser que haja mais casos de roubo a residências ou consultórios cometidos pelo bando que possivelmente não foram registrados", afirma o delegado do 2º DP de São Bernado do Campo, Roberto Menezes.  

O assalto

Os criminosos invadiram a clínica odontológica de Cinthya e dois deles roubaram o cartão de crédito da vítima para fazer um saque em um caixa eletrônico. Após constatarem que a dentista só tinha R$ 30 na conta, eles retornaram ao consultório, atearam fogo em seu corpo e fugiram.

Cinthya atendia uma paciente --cujo nome não foi divulgado-- quando os criminosos apertaram a campainha. Um dos bandidos disse que precisava de atendimento odontológico, e a dentista abriu o portão, momento em que mais dois criminosos invadiram a casa. A paciente ficou com os olhos vendados durante todo o assalto e teve a bolsa, o celular e dinheiro roubados.

A paciente, segundo a investigação, conseguiu ouvir a dentista gritando "não façam isso" e pedindo socorro. "Ela tentou apagar o fogo quando os bandidos fugiram, mas não foi possível. A dentista morreu em menos de três minutos", disse o delegado seccional de São Bernardo, Waldomiro Bueno Filho.

O consultório de Cinthya funcionava nos fundos de sua casa. Ela morava com os pais e uma irmã, que tem deficiência mental. O pai dela, Viriato Gomes de Souza, 70, afirmou que ela não costumava ficar sozinha em casa no horário do almoço.

"Ela ia buscar a irmã na escola, mas, como tinha uma paciente, eu fui com a minha mulher." Quando o pai chegou à rua, viu a movimentação na frente de casa. Foi avisado pelos vizinhos da morte da filha. "Quis entrar, tentei reanimá-la, mas já não dava para fazer nada", disse.

Emocionado, ele diz não saber o motivo de tamanha brutalidade. "Ela era uma pessoa boa, sem inimigos. Agora, a gente não sabe o que vai fazer da vida, se continuará morando lá. Espero que ninguém precise passar pela dor que estou passando", afirmou.

O corpo de Cinthya foi enterrado nesta sexta-feira no Cemitério Municipal de São Bernardo do Campo. O caixão foi comprado mediante doações dos vizinhos e amigos da vítimas, que se sensibilizaram com a situação da família.

Latrocínios crescem 275% no ABC

O número de latrocínios no ABC Paulista, na Grande SP, cresceu 275% no primeiro trimestre de 2013 se comparado com o mesmo período do ano passado, quando foram registrados quatro casos de roubo seguido de morte. Nos primeiros três meses deste ano, o índice nos sete municípios da região subiu para 15. Os dados foram divulgados na quinta-feira (25) pela SSP.

O maior aumento ocorreu em Diadema, que teve seis latrocínios este ano. A cidade fechou o primeiro trimestre do ano passado sem nenhum registro deste tipo de crime. São Bernardo do Campo ocupou a segunda colocação do ranking, com três casos.

Cotidiano