PUBLICIDADE
Topo

Mais dois protestos contra tarifa de transporte são marcados para hoje e amanhã em SP

Do UOL, em São Paulo

12/06/2013 12h55

Outros dois protestos devem ocorrer hoje (12) e amanhã (13), em São Paulo, contra o aumento das tarifas do transporte coletivo. Desde a semana passada, foram ao menos quatro manifestações –três delas, organizadas pelo MPL (Movimento Passe Livre).

Para hoje, às 16h30, a manifestação é prometida pelo DCE (Diretório Central dos Estudantes) da USP (Universidade de São Paulo) em conjunto com “moradores do Butantã”. A concentração será no vão dos prédios dos cursos de história e geografia, da FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas) e se diz contrária aos “problemas com o transporte na Cidade Universitária”.

  • 9737
  • true
  • http://noticias.uol.com.br/enquetes/2013/06/12/voce-acha-que-protestos-podem-levar-a-reducao-do-preco-da-tarifa-do-transporte-publico.js

Em nota, o DCE classificou que a recente onda de protestos em São Paulo representa “dias atípicos” na cidade e salientou que “os estudantes da USP têm sido protagonistas dessa mobilização”.

“Na USP, o descaso com o transporte é escandaloso! Desde o final do ano passado, as linhas 177P e 107T foram retiradas da Cidade Universitária. Isso tem sobrecarregado o BUSP [Bilhete USP], que, atualmente, é estatisticamente a linha de ônibus mais lotada da cidade! Principalmente no período da noite, muitos estudantes têm que esperar 2 ou 3 ônibus para poder embarcar, ou mesmo vão a pé até o metrô. Um verdadeiro absurdo!”, diz trecho da nota.

Os manifestantes prometem seguir até o portão principal da universidade, na rua Alvarenga.

A outra manifestação está prevista para amanhã, às 17h, na Praça do Ciclista, na avenida Paulista. O local foi palco da maior manifestação contra o aumento das tarifas já realizado –nessa terça-feira (11), segundo estimativas da Polícia Militar, ao menos 10 mil pessoas participaram do ato, no qual 20 pessoas acabaram detidas.

Além da Paulista, o protesto passou pelo Terminal Bandeira, também na área central da cidade, no qual ônibus foram depredados.

Cotidiano