PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Adolescente é amarrado e quase linchado após assalto na zona sul do Rio

Do Estadão Conteúdo, no Rio

26/02/2014 13h27Atualizada em 26/02/2014 14h57

Um adolescente de 17 anos teve pés e mãos amarrados após roubar o celular de uma pedestre em Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro, na manhã desta quarta-feira (26). Um grupo de moradores tentou linchar o jovem, enquanto outras pessoas defendiam que nada fosse feito até a chegada da polícia.

Menor é amarrado a poste no Rio

A mulher saía de casa e falava ao celular quando o adolescente passou em uma bicicleta e levou o aparelho. Ela gritou e o menor tentou fugir pelo meio da rua, mas foi alcançado por pedestres que o amarraram.

O jovem foi espancado e precisou ser levado para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Botafogo, onde foi feito um curativo no supercílio.O caso foi registrado na 10ª DP (Botafogo) e será encaminhado para a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente.

Justiceiros do Flamengo

No dia 31 de janeiro, um adolescente de 15 anos foi acorrentado nu a um poste no bairro do Flamengo. O adolescente contou que estava com três amigos na avenida Rui Barbosa, seguindo para a praia de Copacabana, na sexta à noite, quando foi abordado por cerca de 30 pessoas em 15 motos. 

O quarteto tentou fugir, mas ele e outro menino pararam ao ver um dos homens armado com pistola 9 mm. A arma não chegou a ser usada, mas os dois adolescentes foram agredidos a socos. Um deles conseguiu fugir depois de apanhar, mas o outro foi deixado nu e preso a um poste. Os agressores fugiram.

Moradores do bairro viram o adolescente, avisaram a coordenadora da ONG Projeto Uerê, Yvonne Bezerra de Mello, e ela chamou os bombeiros. Nesta quarta-feira, ela prestou depoimento sobre o caso e afirmou estar sendo ameaçada de morte e ofendida em redes sociais, chamada de "protetora de bandido".

Na mesma noite, duas outras pessoas denunciaram à polícia que, foram abordadas por um grupo de 30 motociclistas que os acusaram de cometer roubos e outros delitos na zona sul. O grupo agrediu e deixou nu essas duas vítimas, mas elas conseguiram fugir. Uma entrou em um bar e, quando os agressores chegaram para continuar as agressões, foi protegida pelos clientes.

Cotidiano