Casal é preso suspeito da morte de empresário italiano em MT

Carlos Eduardo Cherem

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

  • Reprodução/Facebook

    Corpo do empresário foi encontrado em agosto com projéteis alojados na altura do tórax

    Corpo do empresário foi encontrado em agosto com projéteis alojados na altura do tórax

A Justiça do Mato Grosso decretou nesta sexta-feira (14) a prisão temporária por 30 dias de um casal suspeito de participação no assassinato do empresário italiano Alessandro Carrega Dal Pozzo, 66. O casal foi detido após dois meses de investigações. Os nomes não foram revelados.

O corpo de Pozzo foi encontrado em sua casa, em Barra do Garças (MT), distante 515 quilômetros de Cuiabá, em 2 de agosto, em avançado estado de decomposição, com dois projéteis alojados na altura do tórax. A residência fica próxima a uma área de mata.

O local onde o corpo foi encontrado é próximo ao templo do "Vale do Amanhecer", localizado no bairro Jardim Amazônia, no município. Até a sua identificação, o corpo encontrado foi considerado como indigente pela polícia.

O pedido de prisão foi feito pelo delegado adjunto de Barra do Garças, Adriano Alencar, que investiga o caso desde que o corpo do empresário foi identificado. Alencar disse que os nomes do homem e da mulher, bem como informações relativas ao caso, estão sob sigilo e não serão divulgados até o avanço das apurações.

Segundo o delegado, a prisão do casal foi necessária para não atrapalhar as investigações. "Assim que for concluído o inquérito, poderei dar mais detalhes, inclusive, a identidade dos suspeitos, caso seja confirmado o envolvimento deles", disse Alencar.

Segundo o advogado Rafael Rabaioli, contratado pela família da vítima, um irmão do italiano chega ao país esta semana para acompanhar o trabalho da polícia. Rabaioli informou também que a única filha do empresário, uma garota de 11 anos, está sob tutela do Estado.

Pozzo, segundo o advogado, possuía diversas propriedades no Uruguai e no Brasil, inclusive em Barra do Garças, e se separou recentemente da mulher.

Por ter cidadania italiana, o consulado da Itália em São Paulo, que acompanha o caso, solicitou ao governo do Mato Grosso que acelere as investigações para apurar as causas que levaram ao assassinato do empresário. A Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio, Indústria e Agricultura, que possui sede em Barra do Garças, também cobrou providências das autoridades para o esclarecimento do crime.

"Enquanto a polícia não avançar nas investigações, não podemos também dar mais detalhes do caso. Há mais de uma linha de investigação no inquérito que está sendo conduzido pela polícia", disse o advogado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos