Polícia investiga "motivação política" para morte de secretário de Altamira

Aline Brelaz

Colaboração para o UOL, em Belém

  • Karina Pinto/Folhapress

    Moradores fazem protesto por paz em Altamira (PA) após a morte do secretário do meio ambiente Luiz Araújo

    Moradores fazem protesto por paz em Altamira (PA) após a morte do secretário do meio ambiente Luiz Araújo

A Polícia Civil do Pará está investigando se houve motivação política para o assassinato do secretário municipal de Meio Ambiente do município de Altamira, Luiz Alberto Araújo, morto na noite de quinta-feira (13), na porta de sua casa.

Luiz Araújo comandava a equipe de fiscalização dos projetos econômicos no principal município da Transamazônica. A polícia já descartou a possibilidade de latrocínio, pois nenhum objeto da vítima foi levado pelos criminosos.

"Ainda não sabemos ao certo qual a motivação do crime. Mas, como a vítima trabalhava no comando do licenciamento ambiental no município não podemos descartar essa hipótese de crime ligado à sua função", informou delegado geral do Pará, Rilmar Firmino.

Nesta sexta-feira, moradores fizeram protesto na cidade pedindo paz.

A Segup (Secretaria de Segurança Pública do Pará) enviará uma equipe com um delegado e dois investigadores para ajudar nas investigações sobre a execução.  A equipe liderada pelo delegado Dauriedson Bentes, que dirige a Divisão de Homicídios da capital paraense, chegará neste sábado na cidade de Altamira. O crime está sendo investigado inicialmente pelo superintendente da Polícia Civil na região do Xingu, delegado Vinícius Dias.

O crime

Na quinta-feira, dois homens em uma moto ficaram de tocaia e quando o secretário chegou em seu carro por volta das 18h30, junto com a esposa e enteada, foram recebidos com tiros, que deixaram inúmeras marcas no veículo.

A perícia preliminar já apontou 14 perfurações no corpo de Luiz Araújo, todos de pistola calibre 380.

O delegado geral do Pará afirma que como não existe formalmente registros de ameaças de morte a Luiz Araújo na Polícia Civil, a equipe de investigação já ouviu sua esposa e hoje está ouvindo outros depoimentos de servidores da Secretaria de Meio Ambiente e amigos da vítima para tentar outras informações que ajudem no caso.

As imagens de câmeras da rua onde o crime ocorreu e de outras da redondeza, já estão com a polícia para análise e tentativa de reconhecimento dos assassinos. Após a execução, os dois homens fugiram da cidade.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos