Suspeito de tentar dar golpe em sertanejo é preso; ele se passava por rico pecuarista

Eduardo Carneiro

Colaboração para o UOL

  • Reprodução/TV Globo e Marcos Ferreira / Brazil News

    Thales se passava por pecuarista e aplicava golpes; o sertanejo Eduardo Costa (direita) estaria entre uma das vítimas do estelionatário, segundo a polícia

    Thales se passava por pecuarista e aplicava golpes; o sertanejo Eduardo Costa (direita) estaria entre uma das vítimas do estelionatário, segundo a polícia

Um homem suspeito de praticar vários crimes de estelionato pelo Brasil foi preso nesta quinta-feira pela Polícia Civil de Goiânia, depois de cerca de seis meses de investigação. Entre as pessoas que teriam sido prejudicadas por ele, um nome notável: o cantor sertanejo Eduardo Costa quase foi vítima de um de seus golpes.

De acordo com informações da Polícia Civil, Thales Câncio de Carvalho, 27 anos, se identificava apenas como Thales Ferraz e se apresentava tanto em encontros de negócio como em postagens em redes sociais como um pecuarista de sucesso, sempre registrando momentos luxuosos de lazer, além de encontros com pessoas conhecidas.

Aproveitando-se desta imagem de profissional influente, o suspeito procurava ludibriar as vítimas a fazerem investimentos e buscava fechar negócios envolvendo gado, imóveis de luxo, veículos e até uma aeronave. Depois, não honrava seus compromissos e ainda fazia dívidas em nome das pessoas enganadas.

Seus golpes causaram um prejuízo de ao menos R$ 500 mil às vítimas – as tentativas, somadas, ultrapassam o valor de R$ 10 milhões.

Sertanejo quase foi vítima

Eduardo Costa entrou na conta das tentativas. De acordo com o delegado Alessandro Tadeu de Carvalho, que acompanha o caso, o suspeito compraria um imóvel de luxo em condomínio fechado do cantor (cujo valor chegaria a R$ 5 milhões), mas o negócio acabou cancelado depois de Thales não honrar um compromisso registrado no contrato. O UOL entrou em contato com a assessoria do cantor, que ainda não se pronunciou.

Thales teve a prisão preventiva deferida pela Justiça a pedido da Polícia Civil. Ele nega parte das acusações e daria mais esclarecimentos às autoridades nesta quinta, no 8º DP de Goiânia, mas sua defesa alegou - de acordo com a polícia - que ele não estava em pleno uso de suas faculdades mentais.

Um total de dez inquéritos que investigam o suspeito já foram iniciados, sendo oito envolvendo casos de Goiás, e o número deve aumentar depois da divulgação da sua prisão – as autoridades acreditam que mais vítimas irão reconhecê-lo e procurar a polícia.

Reprodução/Instagram

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos