Deficiente visual confessa ter matado a mulher, grávida, mas alega legítima defesa

Gustavo Zucchi

Colaboração para o UOL

  • Reprodução/TV Globo

    Deficiente visual Teódolo dos Santos é acusado de assassinar a esposa

    Deficiente visual Teódolo dos Santos é acusado de assassinar a esposa

Um deficiente visual foi preso em flagrante acusado de assassinar a companheira e tentar fugir com o enteado. Teódolo dos Santos, de 33 anos, morava com Risoleta de Alencar, de 30 anos, que estava grávida de seis meses e um enteado de apenas um ano e meio de idade na cidade de Feira de Santana (BA). Ele confessou ter matado Risoleta na manhã de quinta-feira (20) com uma facada no pescoço, segundo as autoridades locais, mas alega legítima defesa.

De acordo com informações da Polícia Civil, Teódolo alega que estava se defendendo após uma briga, motivada por reclamações sobre os afazeres domésticos, mas as autoridades contestam essa versão.

De acordo com o delegado titular da Delegacia de Homicídios de Feira de Santana, Gustavo Coutinho, não há sinais de confronto na casa e ela deve ter sido morta enquanto dormia.

"A versão dele é que houve uma discussão e ele percebeu a faca na mão dela, mas ela não teve defesa nenhuma segundo a perícia. Não é comum uma discussão às 5h da manhã (hora que o crime ocorreu)", disse Coutinho para o UOL.

O corpo de Risoleta foi achado ao lado da cama de casal. Coutinho disse que Teódolo não é totalmente cego, tendo 95% da visão prejudicada, mas que ainda consegue perceber sombras.

A polícia trabalha com a versão que Teódolo matou por suspeitar de uma traição. Coutinho explicou que Risoleta já havia mentido durante sua primeira gravidez sobre o pai da criança e que contou que não era filho de Teódolo somente após o parto. Vizinhos teriam relatado para a polícia que Risoleta desconfiava que o parceiro suspeitava que a nova gravidez era proveniente de uma relação com outro homem.

Eles contaram também que o casal brigava com frequência. Em depoimento, Teódolo sustentou a versão de briga, disse que era "tratado como escravo" por Risoleta e que a briga começou quando ele ameaçou deixá-la.

Após o crime, Teódolo tomou um banho e tentou pegar um transporte para ir até Camaçari, cidade aproximadamente a 95km de distância de Feira de Santana. Ainda segundo Coutinho, um passageiro teria estranhado um cego pegando um ônibus, sem nenhuma bagagem e carregando uma criança. Ele teria então pedido para o motorista ir até o Conselho Tutelar da cidade. Foi então que ele confessou o crime.

A criança foi encaminhada para o Conselho Tutelar da cidade que irá decidir o seu destino. Já Teódolo prestou depoimento e foi está preso no presídio regional de Feira de Santana.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos