PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Embarcação com cerca de 70 pessoas naufraga no Pará; ao menos 10 morrem

Equipes atuam no resgate das vítimas do naufragou no rio Xingu, no Pará - xingu230.com
Equipes atuam no resgate das vítimas do naufragou no rio Xingu, no Pará Imagem: xingu230.com

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

23/08/2017 11h20Atualizada em 23/08/2017 16h41

Uma embarcação que transportava cerca de 70 pessoas naufragou no rio Xingu, no Pará, na madrugada desta quarta-feira (23). Pelo menos dez pessoas morreram. O acidente ocorreu em uma área chamada de Ponte Grande do Xingu, localizada entre os municípios de Porto Moz e Senador José Porfírio, na região sudoeste do Estado.

Segundo o Corpo de Bombeiros, um bebê de 1 ano, uma criança, o comandante da embarcação e outras sete pessoas estão entre os mortos. De acordo com o delegado de Altamira, Elcio de Deus, responsável pela superintendência da região do Xingu, até as 11h, 25 pessoas foram resgatadas com vida.

Os nomes dos mortos e dos demais passageiros ainda não foram divulgados. Até agora, os demais tripulantes da embarcação não foram encontrados. 

O barco tem o nome de "Comandante Ribeiro" e saiu do município de Santarém, região oeste do Pará, com escala nas cidades de Monte Alegre e Prainha. O destino final era no município de Vitória do Xingu.

O barco era um dos autorizados pela Marinha a fazer a linha Santarém-Vitória do Xingu. Segundo reportagem da Folha, porém, o barco fazia transporte clandestino de passageiros pela via fluvial, conforme informou a Arcon (Agência Estadual de Regulação e Controle de Serviços Públicos).

Ainda não se sabe o número exato de pessoas que estavam no barco devido ao embarque e desembarque de passageiros nos municípios de Monte Alegre e Prainha.

O resgate das vítimas do naufrágio está sendo feito por equipes das defesas civis municipais de Belém, Senador José Porfirio e Vitória do Xingu, além do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar.

Ribeirinhos estão cedendo barcos para ajudar no resgate das vítimas do acidente.

As vítimas do naufrágio estão sendo levadas para o hospital municipal de Porto de Moz. Equipes do IML (Instituto Médico Legal) de Altamira estão se deslocando para Porto de Moz para realizar a necropsia e identificação dos corpos no necrotério do hospital local.

A Polícia Civil informou ao UOL que já investiga as causas do naufrágio.

Para facilitar a apuração do caso e o resgate das vítimas, a Segup (Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social) instalou uma sala de situação da Câmara de Vereadores de Porto de Moz.

Cotidiano